Não tenha medo do Imposto de Renda nos investimentos

59 Flares Facebook 34 Twitter 13 Google+ 9 59 Flares ×

Não tenha medo do Imposto de Renda nos investimentosA incidência do imposto de renda em algumas aplicações não significa que estas são menos rentáveis que aplicações isentas de IR. Basta fazer algumas contas ou levar o risco em consideração, e fica fácil ver que não devemos ter medo do Imposto de Renda nos investimentos.

Muitos investidores optam pela Poupança por conta da isenção do Imposto de Renda, em detrimento ao Tesouro Direto ou CDB, onde incide o IR.

Outros preferem investir diretamente em ações, pois não há incidência de IR quando se vende menos de R$ 20 mil por mês, ao invés de investir em fundos de índice.

O objetivo deste artigo é mostrar que a rentabilidade do Tesouro Direto compensa a isenção da poupança e que a diversificação e menor volatibilidade dos fundos de índice são grandes vantagens em relação ao investimento direto em ações.

Poupança versus Tesouro Direto

Com as mudanças promovidas na caderneta de poupança em maio/2012, o rendimento da nova poupança foi indexado à taxa Selic. Enquanto a taxa SELIC estiver menor ou igual à 8,5% a.a., o rendimento da poupança será 70% da SELIC (somado à TR, que é próxima a zero).

Se compararmos a nova poupança com a LFT (Letra Financeira do Tesouro, também indexada à taxa Selic), será possível comprovar a imensa vantagem deste título público.

Enquanto a poupança rende apenas 70% da Selic, a LFT rende 100% desta mesma taxa. Mesmo na pior faixa do imposto de renda (22,5% para investimentos em até 180 dias), a LFT teria uma rentabilidade melhor.

Para facilitar, montei uma tabela bem simples para exemplificar:

Tabela de rentabilidade: poupança x LFT

Rentabilidade líquida: poupança x LFT

Enquanto a taxa SELIC estiver menor ou igual à 8,5% (atualmente está em 7,5%), a rentabilidade da LFT será sempre melhor que a rentabilidade da nova poupança, independente do prazo que o dinheiro permanecer investido.

Mesmo no pior caso de incidência do IR, a rentabilidade da LFT ainda será maior que a nova poupança.

Investimento em ações versus Fundos de Índice

Antes de continuar a leitura deste texto, recomendo a leitura do artigo “Imposto de Renda sobre Ações“, para entender as diversas formas de incidência (ou isenção) do IR sobre operações de compra e venda de ações, além dos dividendos.

Se você não leu ou já sabe como é, resumo agora: os investidores são isentos do imposto de renda quando a soma das suas vendas mensais de ações não ultrapassam R$ 20.000,00.

Independente de quanto você compra por mês, se a soma das vendas realizadas no mês for inferior a R$ 20 mil, você não paga imposto de renda.

Se considerarmos que os pequenos investidores dificilmente venderão mais de R$ 20 mil em um único mês, a maior parte do patrimônio investido em ações estará isento de IR, certo? Corretíssimo!

Já no caso dos fundos de índice (o que são fundos de índice?), o imposto de renda incidirá sobre qualquer venda (com lucro) deste ativo, independente do montante operado.

Então qual a vantagem em relação à rentabilidade? À primeira vista, nenhuma.

Todavia o que muitos esquecem de levar em consideração ao investir em ações é o risco, a diversificação e a volatilidade.

Se estamos falando de pequenos investidores (a grande maioria das pessoas), temos que considerar que estes possuem poucas ações em sua carteira (dificilmente mais de 8 ativos).

O grande problema de investir em poucas ações é justamente o grande risco que isso gera. Um problema pontual em apenas um setor do mercado, se afetar duas ações em sua carteira, pode comprometer até 25% da sua rentabilidade.

No caso do fundo de índice mais popular, o BOVA11 (que acompanha o Ibovespa), este fundo é composto por 69 ações e tem uma taxa de administração de apenas 0,54% ao ano.

Isso significa que com apenas uma compra, você está investindo automaticamente em 69 empresas de uma só vez. Essa diversificação diminue a volatilidade da sua carteira e, portanto, o risco.

Para saber mais, recomendo o passo-a-passo para investir em Fundos de Índice.

Conclusão

Para tomarmos uma decisão de investimento (ou qualquer outra), precisamos analisar diversos fatores. E a incidência do imposto de renda é apenas um deles.

Como vimos neste artigo, investir em títulos públicos é mais rentável que a poupança e os fundos de índice são menos arriscados que o investimento direto em ações. Uma pequena análise pode causar uma enorme diferença na rentabilidade da sua carteira.

Por fim, recomendo a leitura do artigo “Investimento passivo: sua carteira em piloto automático“.

Imagem: FreeDigitalPhotos.net

Assine (é grátis)

Cadastre seu email e receba gratuitamente as atualizações do Quero Ficar Rico!


Atingiu a liberdade financeira e quer ajudar outras pessoas a alcançarem o mesmo objetivo. Continue lendo aqui!

  • Daniel Pinheiro

    Boa noite Rafael, me chamo Daniel. Estava lendo seu artigo e me gerou uma dúvida. No caso de uma venda acima de R$20.000,00 no investimento direto em ações, é obrigatório o pagamento de IR, mesmo que se tenha tido prejuízo (vender por um preço menor que o de compra)? Aguardo retorno. Obrigado.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Não, Daniel. O imposto é sobre a renda (lucro), então não há que se falar em pagar IR no caso de vendas com prejuízo.

      Inclusive você pode compensar esse prejuízo para abater do IR numa futura venda com lucro.

      Abraço!

  • Paulo Fortes

    Olá,amigo. Bem, o seu cálculo do rendimentoo liquido das LFTs não levou em conta a taxa de administração da CBLC e das corretoras, alem dos custos de negociação na compra das LFTs. Se estes custos forem incluidos no cálculo a poupança poderia sim render mais do que as LFTs – em especial em cenarios de curto prazo e selic baixa.

    • Brunopharma

      Precisamos fazer o calculo considerando corretoras que nao cobram taxa e as que cobram maior taxa pra ver se a lft compensaria no curto prazo. Se for reinvestimentos dos cupons das NTNs em lft, creio que valha a pena ante a poupança, pois zeram as taxas da cblc. De qualquer forma, acredito que a taxa da cblc é alta e poderia ser menor. Já foi bem maior, mas poderia ser bem menor; deveria ser mínima.

      • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

        Bruno,

        Como expliquei na resposta ao Paulo, a LFT compensa se considerarmos uma corretora que não cobra taxa de administração.

        Abraço!

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Paulo, você tem razão. Fiz isso intencionalmente, apenas para simplificar o cálculo.

      Mas mesmo que a LFT rendesse 95% da SELIC (cálculos aproximados para descontar as taxas e considerando uma corretora que não cobra taxa de administração), ainda assim renderia mais que a poupança, mesmo em cenários de curto prazo. Afinal 0,95 * (1 – 0,225) = 0,736, que é maior que 0,7 da poupança.

      Abraço!

  • Joao

    Você também deveria levar em consideração as LCAs e LCIs no comparativo com LTFs e poupança.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Não, João. Até porque essas aplicações têm uma característica totalmente distinta da poupança e títulos públicos: liquidez.

      Enquanto eu posso resgatar diariamente da poupança ou vender semanalmente meus títulos públicos, a liquidez da LCI e LCA é apenas no vencimento, o que inviabiliza estas aplicações para muitos investidores que precisam de liquidez.

      Abraço!

      • Luciano

        Rafael, a LCI da Caixa Econômica Federal tem 2 modalidades: com resgate (após carência de 2 meses) e sem resgate, aí sim só no vencimento.

        • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

          Ótima sugestão, Luciano. Só é necessário analisar se a rentabilidade compensa, pois deve ser menor para a LCI com liquidez.

          Abraço!

        • Joao

          Isso mesmo. Nao somente na cef, mas tb em outros bancos.

          O rendimento vai ser proporcional no caso do saque antes do tempo.

          Me parece uma otima alternativa para aquele dinheiro que voce nao sabe se vai precisar ou nao.

  • Werner

    Para bens Rafael

    Gostei seu racocínio sobre rendimento com incidência de IR.
    Só faltou um pequena detalhe.
    Além do imposto de renda no Tesouro Direto ainda tem a taxa de cusódia e eventualmente taxas de tranferências de recursos.

    Werner J. Freimann

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Werner,

      Como eu já “martelei” bastante o tema de contas digitais aqui no Quero Ficar Rico, considero que todas as pessoas podem ter contas que não cobram DOC e TED. Quem ainda paga essas taxas, é porque optou por isso.

      Recomendo a leitura do artigo “Livre-se das tarifas bancárias“.

      Abraço!

  • Wanderley

    No caso de fundos índice x ações, tudo é relativo. A diversificação reduz risco, mas também a lucratividade, e atualmente quando há uma grande queda no Ibovespa, praticamente ações de todos os setores são prejudicadas.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Discordo, Wanderley. A rentabilidade é relativa, mas o risco e a volatibilidade não são. Investir em BOVA11, por exemplo, é menos arriscado que investir em numa única ação.

      Isso não quer dizer que você vai ganhar mais ou menos. Apenas que o risco é menor.

      Abraço!

  • Filipe

    Rafael, boa tarde.

    Minha duvida é sobre os fundos ETF’s:-

    Não consigo enterder ainda a vantagem deles, por exemplo hoje se eu comprar VALE5 com os dividendos que ela vai me proporcionar eu recupero em 12 anos o valor aplicado. E ainda conto com o aumento da ação ao longo de 12 anos. Agora com a compra de uma BOVA 11 eu nao temho a vantagem de receber os dividendos, portanto eu sempre vou contar com o aumento ou nao da cota, sendo que ao longo de 12 anos a Bovespa terá altos e baixos e se eu nao realizo vendas e compras minha média ao longo desses anos sera menor que a estrategia que citei primeiro.

    Gostaria que você comenta-se isto e que me corrija nos pontos em que estou errado.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      O fundos ETF também recebem dividendos. A diferença é que estes são incorporados ao valor da cota. Por esse motivo, mesmo que o preço do ativo flutue, ele sempre aumentará uma pouco por conta da incorporação dos dividendos.

      Abraço!

  • Rosana

    Rafael,
    E em relação à velha poupança, você acha que compensa manter o dinheiro lá, já que a intenção do governo é baixar mais as taxas de juros?
    Muito obrigada,
    Rosana

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Essa é uma pergunta difícil de responder, mas acredito que enquanto o governo continuar baixando a taxa SELIC, ou mantiver no patamar atual, vale a pena deixar o dinheiro aplicado na velha poupança.

      Abraço!

      • Rosana

        Agradeço por sua resposta, Rafael!

  • Bruno

    Rafael,

    Como interpreto essa taxa negativa na LFT?

    Abraço,
    Bruno

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Bruno,

      Entenda como um pequeno ágio sobre o preço, onde você compra a LFT um pouco mais cara que o valor-base e, portanto, obtem uma taxa menor.

      Caso a taxa da LFT esteja em -0,02, isso significa que se a Selic está em 7,5% a.a., sua rentabilidade seria aproximadamente 7,48% a.a.

      Abraço!

  • Diego

    Boa noite Rafael!

    Gostaria de dar os parabéns pelo tema abordado que sem dúvida é de extrema relevância, pois afeta a todos os investidores.

    Acrescento que para os investidores em Bolsa de Valores, o cálculo do imposto de renda realmente é mais complexo. No entanto, hoje em dia já existem ferramentas que ajudam muito nestas contas e fazem praticamente todo o trabalho.

    Como exemplo deixo a Calculadora de IR do Bússola do Investidor, disponível em versão gratuita no endereço: http://www.bussoladoinvestidor.com.br/calculadora_de_ir/

    Somente a parte de desembolsar o dinheiro para pagar os impostos que (infelizmente) ainda fica com o investidor… rs

    Grande abraço!
    Diego

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Muito obrigado, Diego.

      Abraço e valeu pela ótima contribuição!

  • Nicolau Horvath

    Olá Rafael, estou querendo investir no tesouro direto e estou com uma dúvida… qual a diferença da rentabilidade bruta nas colunas de “12 meses” e na coluna que fala “no ano”

    Abraços

  • jose

    Boa tarde Rafael. A LFT é indexada à Selic certo? Caso eu compre hoje a LFT com vencimento para 2015, o meu titulo vai render de acordo com a variação da Selic ,ou vai render até o vencimento (2015) a taxa praticada hoje? Abs!

  • Luis Perini

    Rafael,

    Ainda vale a pena investir em ações do setor de energia para obter bons dividendos, depois das revindicações do governo para diminuir as contas de energia?
    Quais as melhores ações no momento para obter bons dividendos?

  • http://www.facebook.com/people/Pobretão-De-Vida-Ruim/100003513889338 Pobretão De Vida Ruim

    Ótimo artigo Seabra pois o IR é sempre um vilão eu fico desesperado ao ver IR nos investimentos.

    Importante mencionar que a LFT como já falaram pode ser uma opção ruim com todas as taxas e se não levar até o final. 1 ano me parece que é até ruim o rendimento comparado a poupança.

    http://vidaruimdepobre.blogspot.com.br/

  • Leandro

    Bom dia Raphael,

    Pra variar mais um otimo artigo. Tenho duvidas com relacao ao TD.Pretendo investir mensalmente ate 2015 para aquisicao de um bem.Tenho como opcoes LTN e NTN B pricipal com vencimento neste prazo.Os titulos comprados agora teriam aliquota de IR de 15% no vencimento,porem haveria aumento das aliquotas nos titulos comprados posteriormente,ate o maximo de 22.5%.Essa estrategia ainda assim vale a pena ou voce acha que quando chegar a 17.5 ou 20 deve-se parar de comprar titulos e investir em algo que nao incida IR ?Sempre mantendo o planejamento de leva-los ate o vencimento.Muito obrigado.Abraco.Excelente blog

  • Cleideqsobral

    Olá Rafael, tenho um dinheiro que ganhei de herança que esta parado na minha conta poupança desde 2009. Gostaria de saber se o rendimento desse dinheiro que não mexo, ainda vale na regra antiga? ou se automaticamente ja passou a valer só os 70% selic =/ *nao mexo na poupança desde esse ano 2010. Abraço!

  • Luiz

    Olá Rafael. Leio sempre seus artigos e tenho uma dúvida que há tempos estou para questionar…
    Tenho um financiamento habitacional da CEF cuja taxa é: variação da POUPANÇA (aniversário dia 29) + 7,22% aa. 120 parcelas, das quais 60 estão pagas. Tendo o recurso em mãos, é melhor quitar ou continuar pagando. Antes da subida dos juros era um excelente negócio, hoje…
    Se puder me dar sua opinião, agradeço.

  • josé manoel da cunha e menezes

    rafael, no caso dos ETF´s, o imposto de renda vai incidir sobre o que rendeu ou sobre todo o valor aplicado mais o rendimento?

  • Josivanibc

    Rafael com a queda da selic, qual o melhor titulo para se investir na sua opinião?
    Parabéns pelo Blog.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Meus preferidos são os indexados ao IPCA (NTN-B e NTB-B Principal).

      Abraço!

  • Edu

    Rafael, comento isto em setembro 2012 : taxas de 4,03% + IPCA para o NTN-B principal com vencimento em 2024 parecem um bom investimento na conjuntura atual?

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Sem dúvidas, Edu.

      Como o IPCA dificilmente ficará abaixo de 5% ao ano, trata-se de um investimento que renderá mais de 9% ao ano, enquanto a taxa SELIC está em 7,50% ao ano.

      Abraço!