Devo comprar carro financiado e continuar a investir?

43 Flares Facebook 26 Twitter 14 Google+ 0 43 Flares ×

Devo comprar carro financiado e continuar a investir?Recebi por e-mail esta dúvida de um leitor e achei tão interessante que resolvi compartilhar minha resposta através deste texto. Eis o dilema: após muitos meses de esforço, você consegue poupar e investir parte do dinheiro que recebe por mês, acumulando um montante que não quer se desfazer. Ao mesmo tempo, há a necessidade / desejo de comprar um carro, que acontece com 99,9% dos jovens que estão próximos a se formar.

Diante dessa situação, surge a terrível dúvida: devo comprar carro financiado e ainda assim continuar a investir? A dúvida é pertinente, pois é muito difícil pegar todo o dinheiro que juntou até então e gastá-lo com o carro. O simples fato das prestações caberem no orçamento leva a crer que não será necessário utilizar o dinheiro investido para para pagar o carro.

O objetivo deste artigo é discutir sucintamente quanto custa ter um carro e mostrar se é vantajoso comprar carro financiado sem mexer na poupança acumulada até o presente momento.

Quanto custa ter um carro?

Sempre ressaltei a necessidade de equilibrar os desejos do presente com os objetivos do futuro. Não adianta abrir mão de tudo agora para só colher no futuro ou gastar tudo no presente e não ter nada depois, pois ambas as situações só trarão insatisfação. É possível viver e juntar dinheiro, tendo equilíbrio e disciplina. Recomendo a leitura do artigo “Viver ou juntar dinheiro? Escolho os dois!“, para entender melhor como conseguir isso.

Portanto, não há mal nenhum em satisfazer um desejo, que no caso é a compra de um carro. Contanto, antes de qualquer coisa, faz-se necessário analisar se o carro caberá no orçamento. Existem muitos custos além das prestações e do combustível quando se adquire um carro e muita gente só cai na real após a compra do carro, pois não quis fazer as contas antes da aquisição.

Para ajudar quem ainda não comprou o carro, escrevi dois artigos (‘Quanto custa o carro no orçamento?‘ e ‘Quanto custa ter um carro?‘) e também disponibilizei para download uma planilha de gastos com automóvel.

Financiamento é dívida!

Quanto ao financiamento, me parece incoerente receber menos de 1% ao mês do dinheiro investido enquanto estará a pagar 2,5% ao mês para o banco do financiamento. Se você decidir comprar o carro após analisar que cabe no orçamento, o ideal é utilizar o máximo que conseguiu poupar, deixando apenas um fundo para emergência.

É importante entender que as parcelas do financiamento serão agora uma dívida. E, como deixei claro no artigo “Quitar dívidas ou investir?“, as dívidas são mais caras (taxa de juros mais alta) que 99,9% das opções de investimento disponíveis no mercado.

Assim sendo, ao tomar a decisão de comprar um carro financiado, todo o esforço deve estar direcionado para o pagamento dessa dívida, justamente pela altíssima taxa de juros. E só voltar a investir depois que quitar a dívida.

Você já esteve nessa situação?

Certamente muitos leitores já estiveram nessa situação ou até estão com essa dúvida nesse exato momento. Por isso, peço que você compartilhe conosco o que fez quando passou por isso ou sua opinião a respeito desse dilema. Para tanto, basta deixar um comentário!

Assine (é grátis)

Cadastre seu email e receba gratuitamente as atualizações do Quero Ficar Rico!


Atingiu a liberdade financeira e quer ajudar outras pessoas a alcançarem o mesmo objetivo. Continue lendo aqui!

  • http://www.odontocloc.com.br Marcelo

    Acredito que vai da necessidade de cada um. Dá ansiedade de ter seu próprio carro ? sim, dá… dá vontade de ter um carro melhor ? sim, dá.

    Mas existem outras perguntas de devem ser feitas: eu preciso mesmo de um carro ? eu preciso de um carro 0 ? vou precisar financiar ?

    Me casei há 1 ano e meio e não teve jeito, após 6 meses acabamos comprando o 2o carro e optamos por um Corsa 97.

    Por que um carro tão velho ? Simples, porque temos um carro 2007 que nos atende muito bem e o principal motivo foi não precisar financiar pois pagamos à vista e era o que cabia em nosso bolso. O restante do dinheiro continua aplicado.

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Ótimo depoimento, Marcelo. Contudo são poucas as pessoas que conseguem enxergar o carro apenas do ponto de vista da necessidade. A maioria vê como desejo, então fica “cega” quanto aos custos envolvidos.

      Abraço e valeu pela participação!

  • http://suascontasemdia.blogspot.com Lucas Madaleno

    Considero interessante em alguns casos a aquisição de um consórcio como ALTERNATIVA ao financiamento.

    Como já existe uma reserva financeira, uma parte pode ser usada como lance e o restante ficaria como fundo de emergência como foi citado no artigo e/ou outros investimentos já existentes e que não seja de tão fácil saída pela falta de liquidez ou pagamento de IR etc.

    No consórcio existem sim juros, que são cobrados através de taxas de administração, seguros, fundos de reserva etc mas pelo menos os consórcios de grandes bancos cobram menos juros que os financiamentos no final das contas.

    Acho que vale a pena fazer algumas simulações e comparar as alternativas de crédito e prazos.

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Do ponto de vista financeiro, pode ser vantajoso. O problema é que uma pessoa que está na situação apresentada no artigo, dificilmente topará esperar ser contemplado no consórcio.

      O ideal é tentar dar a maior entrada possível (se possível comprar à vista), procurar as menores taxas e ainda pagar no menor período possível, sempre lembrando que vale mais a pena quitar a dívida e só então voltar a investir.

      Abraço e valeu pela participação!

      • http://suascontasemdia.blogspot.com Lucas Madaleno

        Concordo com você Rafael, alguém que se encontre na situação apresentada no artigo não conseguirá esperar a contemplação, que pode ocorrer no 1º ou no 72º mês.

        Mas pelo que entendi no artigo essa pessoa já tem algum dinheiro aplicado, por isso sugeri a utilização desses investimentos como lance no consórcio, aumentando significativamente as chances do carro sair no começo do grupo dependendo de quanto for esse lance.

        E concordo também com você em outro aspecto, o ideal é comprar à vista sempre! E de preferência pedindo um desconto e/ou acessórios úteis ao carro.

        Só a título de curiosidade, fiz alguns cálculos em sites de bancos e achei taxas de 2,7% a 2,9% ao ano em consórcios de carro, achei bem baixas por sinal.

  • http://www.bolsafinanceira.com Felipe Medeiros

    Olá Rafael!!

    Como citei em um comentário anterior, se o carro for mesmo necessário, compensa inclusive financiar a CDC pra poder antecipar as parcelas e conseguir grandes descontos!!
    Claro que isso só vale se for possível antecipar as parcelas dentro do orçamento.
    Além de quitar a dívida mais rápido e poder voltar a investir, também é possível “poupar” uma grande quantia com os descontos recebidos pela antecipação das parcelas!

    Grande abraço!!

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Para quem trabalha com a possibilidade de antecipar parcelas, o CDC é a melhor opção. O ideal é dar uma ótima entrada e, se possível, comprar à vista.

      Abraço!

  • Kleiton

    Olá Rafael, aconteceu exatamente isto comigo, tinha uma reserva no banco poupança, usei metade para dar de entrada no finaciamentoem CDC do veículo, na afobação de ter meu carro e não ter de usar mais esse transporte público precaríssimo de Recife, fiquei super feliz, daí vieram as dívidas em cima da dívida, primeiro o combustível deu um pulo do nada, meu cálculo era gastar em média R$ 160,00 á 180,00 por mês, com o aumento pulou para R$ 250,00, IPVA caro, taxas. Quando iniciei a compra tinha R$ 5.000,00, hoje num tenho nem 700,00 devido aos imprevistos que estão acontecendo. Gostaria de saber se há alguma possibilidade de ter uma ajuda para poupar e pelo menos chegar a 1.000,00 até o fim do ano, eu posso guardar R$ 200,00 Mês. Fiacrei grato se voce me aarumar alguma solução.

    Obrigado.

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      O primeiro passo é restabelecer seu fundo de emergência. Para mais detalhes, sugiro a leitura do artigo “A importância de um fundo de emergência“. Como pode ser visto no artigo, esse fundo pode ficar na própria poupança e será ele que lhe protegerá de futuros imprevistos.

      Abraço e valeu pelo depoimento!

  • Miguel

    Vou deixar-vos o meu caso.
    Tenho dinheiro poupado e investido a dar-me uma certa rentabilidade por mês. No entanto decidi comprar um carro e a duvida era, compro a pronto ou faço o credito. Feitas bem as contas, optei por o credito. Porquê? porque fazendo o credito a 5 anos pago de juros no total cerca de 1200€, e a rentabilidade que tiro da minha poupança em 5 anos ultrapassa os 2000€. Ou seja, deixo ficar o meu dinheirinho, que continua meu, e paga-me os juros do carro. Para não falar que a compra do carro representava uma poupança em gasoleo que cobria largamente o valor da prestação;). No final do mês pago a prestação e mesmo assim gasto menos dinheiro, e no final do emprestimo tenho os juros pagos pelas minhas poupanças aplicadas. :))))

    • Tiago

      Mas, Miguel, vc está em Portugal, e as coisas são (quase que) completamente diferentes do que no Brasil. Em primeiro lugar, o carro 0 km mais barato existente no mercado brasileiro custa em torno de 30 salários mínimos (incluindo aí o preço final do carro mais todas as taxas de retirada, como emplacamento, IPVA, seguro obrigatório, seguro particular). Soma-se aí o fato de que a gasolina custa em torno de U$1,80 o litro!, sem contar os custos ocasionais (estacionamento, pedágios, consertos…) que não podem ser negligenciados, e já estão com a inflação de demanda correspondente super aquecida. Eu diria que ter carro hj no Brasil pode ser um luxo, muitas vezes desnecessário, que destrói a poupança de longo prazo de quem negligencia sua capacidade de corrosão de patrimônio. Isso que nem falei de depreciacão e outros.
      Conheço a situação portuguesa, pois já morei aí. Portugal é lindo, uma terra abençoada, pena que entrou nessa caravela furada chamada Euro.

      Abraços.

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Pois é, Miguel. Como o Tiago muito bem ressaltou, tua situação é bem diferente da nossa (brasileiros). As taxas de juros por aí já são normalmente muito mais baixas que as daqui. E com crise que Portugal está atravessando, os juros estão ainda mais baixos para incentivar o consumo.

      Nesse cenário, sem dúvida sua estratégia é mais vantajosa.

      Abraço e seja muito bem-vindo ao Quero Ficar Rico!

  • Thiago

    Se o valor que ele possui for suficiente, acredito que uma boa alternativa seria comprar o carro à vista e investir todo mês o valor das parcelas, que seriam pagas para a instituição que lhe faria o empréstimo, durante o período que ele pagaria se tivesse financiado. Assim ele estaria pagando juros para ele mesmo.

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Sem dúvidas, Thiago! Essa é a melhor opção, caso ele tenha o montante para comprar o carro à vista.

      Abraço e valeu pela participação!

  • http://jovempreendedor.wordpress.com/ André Savi

    Fala Rafael, tudo bem?
    Acho que já comentei aqui no blog, mas a melhor alternativa para quem tem a oportunidade, é de alugar um carro em contrato de longo prazo (ex. 24 meses).
    Você só paga o valor da mensalidade (fiz um orçamento e está em torno de R$ 1.186,09/mês), você não tem despesas com impostos, manutenção, depreciação, seguro, licenciamento e outros…na minha simulação fiz com o pagamento do carro à vista (R$ 33.990), carro 1.0, completo (ar-condicionado e direção hidráulica), o ponto chave de qualquer simulação é o Custo de Oportunidade, ou seja, quanto você pode ganhar se deixar de comprar o carro. Se for financiar, alugar é mais vantajoso ainda!

    Quanto maior o seu conhecimento em investimentos, mais retorno você terá e mais opções você consegue (financiar ou alugar).

    Ainda não fiz uma experiência pois pretendo trocar de carro apenas em 2014, até lá junto mensalmente um valor para a troca, caso alugue, o dinheiro continuará rendendo, caso contrário tenho o dinheiro para comprar à vista.

    Dá uma olhada no meu blog que lá tem um artigo falando sobre esse comparativo.

    As vezes mesmo tendo carro próprio, se for viajar e a distância for considerável, alugar um carro com km livre é vantajoso também, mas para isso é necessário conhecer os custos do seu carro, calcular o custo por km por exemplo.

    Abraço a todos e boa sorte em suas decisões, Deus abençoe a todos!!!

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Li o artigo que você citou, mas só não ficou claro uma coisa: ao final do período (24 meses), o proprietário poderia vender o carro e ganhar algum dinheiro. Onde essa venda é levada em consideração?

      Não entendi direito a proposta, mas fiquei muito curioso. Você poderia explicar melhor?

      Abraço e valeu pela participação!

      • http://jovempreendedor.wordpress.com André Savi

        Olá Rafael!

        A venda é levada em consideração na linha onde está como patrimônio!

        Esse valor considera o valor de compra do veículo menos o valor de depreciação, na linha onde está líquido, quer dizer qual é o valor que você teria líquido na mão considerando todos os custos (impostos, depreciação, custo de oportunidade, seguro, etc.).

        A planilha já contempla essa informação, mas de forma indireta.

        Qualquer dúvida, só falar!

        Abraço!

    • Marcos Paulo

      Essa dica é muito boa. Um amigo faz isso. Ele usa a moto no dia a dia. Quando precisa d ecarro, ele usa taxi ou carros alugados. E faz a reserva com bastante antecedência. Desse moto a locadora é obrigada a ter um carro disponível para ele. COmo os carros populares são os mais procurados, muitas vezes ele sai da loja com um carro de luko pagando o preço do aluguél de um carro popular.
      Para quem quer ter um carro para fazer bonito para as menininhas, até nisso alugar é uma boa.

      Abs

  • newton

    Olá pessoal, tenho uma dúvida, porém acho que não está totalmente ligada ao tópico.
    Tenho um carro financiado em 60 meses(R$48.600,00), e já paguei 14 meses(13.600,00). Estava com algumas dívidas e tive que vender minha casa para quitá-las, logo acabou entrando um dinheiro para eu quitar o carro.
    Deixo o dinheiro rendendo e continuo pagando as prestações ou quito de vez?

    Obrigado.

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Se o financiamento for em CDC, é mais vantajoso quitá-lo. Se for um leasing, não vale a pena. Dá uma lida no artigo “CDC ou leasing: qual escolher na hora de comprar um carro?“.

      Abraço!

      • newton

        Obrigado pelo link, Rafael.
        É, infelizmente o meu é leasing.
        Vlw. Abraço.

      • 12345

        não vale a pena financiar se tiver dinheiro compra se não tiver não compra,pra ter um carro hoje em dia e mante-lo tem que ganhar no minimo uns 3,500 por mes,carro não é investimento prefiro imoveis que valorizam

  • Marcus

    Olá! Meu nome é Marcus e gostaria de dizer em primeiro lugar, o quanto são interessantes esses tópicos. Gostaria de aproveitar e compartilhar o que ocorreu comigo. Sempre avalio os prós e contras do que irei fazer, no que diz respeito a finança. Sou assalariado e preciso saber muito bem como gastar o dinheiro, pois sei que não é fácil aumentar meus rendimentos e só me resta comprar com sabedoria o que preciso, para aumentar meu poder de compra. Quando digo com sabedoria e aumentar o poder de compra é: pagar a vista para pagar menos. Bem dito neste tópico, os juros de financiamentos são altíssimos. No último mês comprei o Home Theater que estava planejando, com todos os recursos que eu queria. Preço à prazo R$ 1799,99, para pagar em 12 meses. Preço à vista R$ 1459,00, com toda certeza para valer a pena eu deveria ter uma aplicação, que o rendimento fosse maior que 2% ao mês. Isso é muito difícil. Fiz assim com meu carro, com meu apartamento e com muitas outras coisas. Acho que o fato de não pagar juros, jás estou lucrando.

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Excelente depoimento, Marcus! Esse é o comportamento mais correto quando temos educação financeira.

      Obrigado por compartilhar sua experiência. Muita gente pode aprender pelo teu exemplo.

      Abração!

  • Rodrigo

    É bastante difícil conseguir uma rentabilidade superior a 2,5% ao mês em qualquer investimento. Sendo assim, não acho que seja uma boa ideia comprar um carro financiado.

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Você está correto, Rodrigo. Por isso que é mais vantagem comprar à vista e, quem sabe, até conseguir um desconto, melhorando ainda mais a compra.

      Abraço e valeu pela participação!

  • http://www.blogdoinvestidor.com.br Vitor Nagata

    Boa tarde Rafael! Em primeiro lugar parabéns pelo blog e pelos artigos sobre temas tão presentes em nosso dia a dia! Escrevo no Blog do Investidor junto com o Ulisses Nehmi e ele me recomendou para acompanhar os seus posts e artigos que tem muito em comum com o nosso propósito!
    Apenas para complementar a idéia deste artigo (e os comentários do português Miguel e do André Savi especialmente), gostaria de levantar um ponto: será que é sempre necessário ter um carro? Concordo que o transporte público é muito deficitário no Brasil, mas faz parte já da cultura brasileira a necessidade de ter um carro. Se você não tem um carro automaticamente você não é bem sucedido. Muitos reclamam que o carro é caro no Brasil por causa dos impostos, mas não é só por isso, é causado também pela velha lei da oferta e procura. Um exemplo é o luxuoso carro Sonata da Hyundai, que tinha proposta de vir ao Brasil por R$ 80mil, simplesmente porque é um nível abaixo do Azera. No lançamento fizeram um preço sugerido de mais de R$ 100 mil, apenas por ser uma novidade, e este preço perdura até hoje. Vale lembrar que nos Estados Unidos o mesmo modelo de Sonata é mais barato que o mesmo modelo do Azera brasileiro, o que não acontece aqui, e o que justifica que mais de R$ 20mil do preço do carro foi acrescido apenas pela grande demanda. Esta demanda vem da necessidade do brasileiro de ter sempre um carro novo.
    Não estou falando para as pessoas não realizarem seus sonhos e não comprarem carros. Estou falando para as pessoas não pensarem apenas em “qual a melhor forma de comprar um carro” e “será que o carro cabe no meu orçamento”, e sim também em “será que eu preciso trocar meu carro a cada 2 anos” “será que minha mulher e eu necessitamos ter um carro cada um”. Espero ter contribuído com o debate.
    Abs!

    • http://jovempreendedor.wordpress.com/ André Savi

      Olá Vitor, tudo bem?
      Realmente, concordo com você, nem sempre é necessário ter carro, o veículo parado no estacionamento ou na garagem está gerando custos também (custo fixo).
      E eu defendo essa idéia sua de que carro no Brasil é caro por ser entitulado como “paixão nacional”, um carro acaba de ser lançado e pessoas com carros com menos de 6 meses de vida-útil vão e trocam o carro, infelizmente no Brasil, principalmente entre os jovens, ter um carro quer dizer que a pessoa está ganhando bem, garanto que 90% desses carros são financiados!

      O valor aumenta não somente pela demanda, mas as empresas não teriam condições de ofertar o veículo, a Hyundai não tem fábrica no Brasil, aumentando assim o valor do mesmo.

      E eu acredito que com uma programação e planejamento a grande maioria das famílias tem condições de ter apenas um carro na garagem.

      A minha analise é feita no caso da real necessidade de ter um carro!

      Abraço e valeu pela contribuição!!!

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Olá, Vitor!

      Muito obrigado pelo depoimento e seja muito bem-vindo. Realmente a compra de um carro, na maioria das vezes, é a realização de um desejo, e não uma necessidade.

      Por conta dessa “loucura” pelo carro zero, o mercado de carros usados (semi-novos, como é conhecido) se torna uma boa opção para quem quer um bom carro por um bom preço.

      Meus dois últimos carros foram semi-novos (menos de 2 anos de uso) e economizei aproximadamente 25% sobre o preço do zero em ambos os casos comprando à vista.

      Por isso que sempre falo: pense 10 vezes antes de comprar um carro; se decidir comprar, faça as contas; se couber no orçamento, considere um carro semi-novo.

      Abraço e valeu pela participação!

  • Rodrigo Neves

    Olá tudo bem?
    Eu trabalho em uma cooperativa onde as taxas de juros é de 2,50 ao mês sobre o saldo devedor,ou seja são juros simples e não compostos como nos banco,e o melhor a parcela e decrecente,estou pensando nesta alternativa pois não quero mexer na minha aplicação pois agora que estou começando a ter uma rentabilidade boa!
    E com o tempo poderei usar deste próprio dinheiro para a quitação desse empréstimo,não quero ficar sem nada na minha conta!
    Abraços!

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Não é bem juros simples, Rodrigo. Se o devedor não pagar uma prestação, o valor dela (amortização + juros) entra no saldo devedor e, no mês seguinte, a taxa incidirá sobre o novo saldo devedor, acrescido da parcela anterior.

      Quanto ao pagamento decrescente, isso se dá em virtude da utilizada do SAC (Sistema de Amortização Constante), onde – como o próprio nome diz – pagamos todos os meses o mesmo valor como amortização e o complemento são os juros, que diminuem mensalmente, por conta da redução do saldo devedor.

      Por fim, 2,5% ao mês é bem alto em se tratando de financiamentos automotivos, na minha opinião.

      Abraço!

  • http://jovempreendedor.wordpress.com/ André Savi

    O Banco Central disponibiliza uma lista com a taxa de juros das Instituições Financeiras para financiamento de veículos.

    Segue link para quem quiser comparar: http://www.bcb.gov.br/fis/taxas/htms/tx012040.asp

    As taxas vão de 1,10% a.m. até 10,54%.

    Financiar não é a melhor opção, mas se não tiver jeito, saiba escolher a financeira.

    E Rodrigo Neves, cuidado com o psicológico, 2,5% a.m., como o Rafael comentou, é uma taxa alta! Entenda melhor como funciona a tabela SAC para simular e ver que pagará muito juros na aquisição deste veículo e a rentabilidade dos seus investimentos não chegará nem perto disso!

    Abraço a todos, fiquem com Deus!

  • Rodrigo Neves

    Tudo bem pessoal!
    Valeu pela dica,mas eu conheço a tabela SAC,pois trabalho com ela atualmente,e vejo comparando com os bancos que compensa mais, pois essa tabela do BACEN está desatualizada pois eu fui verificar no Bradesco e a taxa era de 3% a.m em parcelas fixas para compra de automóveis.
    E realmente comprar um carro financiado não e uma boa eu gostaria de poder comprar a vista,porem eu demoraria pelo menos mais 4 anos para guardar a quantia necessária para a compra do veiculo,e estou pesquisando e buscando maneiras de fazer um empréstimo ou financiar um carro mais antigo,pois como não tenho prática na direção não pretendo comprar um carro 0 neste momento.Fiz uma simulação em um site e vejam de compensa!
    10.000,00 em 24x
    1 07-07-2011 28 2,33% R$652,47
    2 05-08-2011 29 2,42% R$650,73
    3 08-09-2011 34 2,83% R$678,96
    4 07-10-2011 29 2,42% R$630,51
    5 08-11-2011 32 2,67% R$641,32
    6 07-12-2011 29 2,42% R$610,30
    7 06-01-2012 30 2,50% R$606,46
    8 07-02-2012 32 2,67% R$607,86
    9 07-03-2012 29 2,42% R$579,97
    10 09-04-2012 33 2,75% R$590,78
    11 08-05-2012 29 2,42% R$559,76
    12 08-06-2012 31 2,58% R$558,71
    13 06-07-2012 28 2,33% R$535,36
    14 07-08-2012 32 2,67% R$540,94
    15 10-09-2012 34 2,83% R$536,75
    16 05-10-2012 25 2,08% R$496,67
    17 08-11-2012 34 2,83% R$513,05
    18 07-12-2012 29 2,42% R$489,00
    19 08-01-2013 32 2,67% R$485,17
    20 07-02-2013 30 2,50% R$470,53
    21 07-03-2013 28 2,33% R$457,29
    22 05-04-2013 29 2,42% R$448,57
    23 08-05-2013 33 2,75% R$441,25
    24 07-06-2013 30 2,50% R$428,71

    Total R$ 13.211,12 – Juros R$ 3.173,12

  • Eduardo Silva

    Olá, acabo de adquirir um carro 0 km no valor de 40.000, entretanto, passado um mês da compra, refleti que teria sido melhor investir essa grana em um imóvel. Estou bastante arrependido e queria saber se existe alguma forma de eu negociar este carro sem perder muito. Pensei em colocá-lo no negócio da casa, porém depende da aceitação do proprietário.
    Desde já agradeço pela ajuda.

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Olá, Eduardo!

      Como você deve saber, quando o carro sai da concessionária, seu valor já cai em torno de 15%. O que você pode fazer é tentar envolvê-lo na negociação do imóvel, tentando assim reduzir a perda.

      Abraço e boa sorte!

  • Wesley Neco

    Caro Rafael,

    Tudo bom? Eu vejo seu Blog todos os dias e sua iniciativa é muito importante para o desenvolvimento da educação financeira para o povo brasileiro.
    Rafael veja se o meu raciocínio está correto, baixei sua planilha (quanto custa para ter um carro) e adaptei a minha necessidade e na linha de “Custo de Oportunidade” você calculou o rendimento em cima do valor de face do veículo, mais na verdade esse valor não existe, pois só vou ter esse “ativo” após o fim do financiamento. Porém esse “Custo de Oportunidade” não deveria ser calculado com base no custo total mensal e depois calcular quanto seria o rendimento anual utilizando a formula de juros composto?

    Agradeço desde já sua atenção!

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Não, Wesley. Na minha opinião está errado, pois você tem o dinheiro desde o início. O problema é que utiliza para comprar o carro. Num financiamento, você recebe o dinheiro no valor equivalente para comprar o carro e repassa para a concessionária.

      Se você fizesse um empréstimo e, ao invés de comprar o carro, investisse esse dinheiro, perderia bem menos. Claro que isso é uma situação hipotética e ninguém faria isso. Mas, neste caso, o custo de oportunidade seria menor que no caso do automóvel.

      Espero que você tenha entendido.

      Abraço e valeu pela participação!

      • Wesley Neco

        Rafael, entendi sim. Obrigado pela anteção

  • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

    Pessoal,

    Para todos aqueles que querem saber mais sobre consórcios, publiquei agora a pouco o artigo “O que é um consórcio?“.

    Recomendo a leitura e fiquem à vontade para tirar dúvidas sobre o tema por lá ou até complementar o texto.

    Abração a todos!

  • http://www.cybermaxx.com.br Marcelo

    Achei o blog hoje e por acaso, to sempre atras de assuntos relacionados ao dinheiro e investimentos.
    Aproveitando, vou deixar minha experienca com carro e consórcio.

    Há um tempo fiz um consórcio, baratinho, de 5 mil, fui contemplado logo na segunda assembléia, consegui comprar um gol 1991, primeiro carro.

    2 anos depois fiz outro consórcio, já tinha uma grana e dei lance, 3 mil de lance e tirei na 3 assembléia, crédito de 15 mil + meu gol e fiquei de palio 2002.

    Agora estou em outro consórcio, pra mais uma troca, mas tudo sem afobação, carta de 18 mil em 36x, já se passaram 7 assembleias e ainda nada, mas estou sem pressa, pois tenho um carro bom q não me dá gastos, só vou trocar por um mais novo e confortável.

    Vejo muitos amigos entrarem em financiamentos intermináveis, pagando juros absurdos pelo simples fato ter um carro bom, ter estatus.

    Após anos de trabalho e economias, tenho dinheiro pra trocar de carro sem a necessidade do consórcio, mas justamente por não ter pressa, deixo essa grana investida (parte em poupança e parte em ações) e vou pagando mensalmente, estou pagando cerca de 2 mil em taxas no consórcio, mas acredito q seja a melhor opção no momento.

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Ótimo depoimento, Marcelo!

      Quando nos planejamos para efetuar gastos maiores, dificilmente passamos sufoco ou comprometemos nossos investimentos.

      Abraço e valeu pela participação!

  • Marcos Paulo

    Vou contar meu caso recente. É diferente, mas pode ajudar. Eu venho para o trabalho de moto. Tinha uma 125 que me fazia gastar por mês menos de 120 reais de combustível. Consegui juntar uma grana e comprei uma moto grande. Uma delícia, mas foi um problema, pois não coloquei no papel os gastos (que são maiores do que muitos carros). Vendi e acabei perdendo dinheiro.
    Fiz muitas pesquisas e achei uma moto ideal para mim e minhas necessidades. Custava R$13,990. Pagando a Vista o valor iria para R$13,490. Como eu tinha dinheiro para pagar a Vista, fui ligando nas lojas e no final das contas comprei a moto por 13 mil reais. Fiz a documentação por conta. Que ficou menos de 500 reais. (se fosase fazer pela loja, ficaria entre 800 a 1000 reais). Com essa “economia” me senti mais a vontade de fazer um seguro. Que ficou caríssimo R$1,500 (seguro de moto é um absurdo).
    Além de não pagar juros, pagar a vista te da poder de compra. Tendo paciência vc consegue grandes abatimentos no valor do produto. Vc ganha 2 vezes, ao não pagar juros e conseguir descontos (ou opcionais) na hora do compra do seu veículo.
    E aproveitem, pois ao contrário das motos, carro existem muitas opções de modelos e marcas. Comprando a vista vc só tem a ganhar.
    Outra coisa que gostaria de reforçar. Muitas lojas oferecem de incluir na prestação do carro, os gastos com despachante. Isso vai fazer o valor das prestações subir absurdamente. Pensem em fazer vc mesmo a documentação do veículo.
    Em tempo, a dica de aluguél de carro, somado a uso de taxi pode ser uma grande alternativa para muitas pessoas. Tenho um amigo que faz isso.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Excelente depoimento, Marcos Paulo. São exemplos como esse que engrandecem o artigo e mostram exemplos reais para que outras pessoas possam evitar esse mesmo erro.

      Abraço e valeu pela participação!

  • Marcos

    é uma duvida cruel, tenho um carro de 34000, vou pegar esse mes um de 134, 100k mais caro, vou financia 70k em 36, rsrsrs,, mais tenho 26 anos e a prestação vai faze parte de 15% da minha renda, acho q na minha idade da pra faze umas loucura né? rsrs abraço.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Olha só, se a prestação cabe com folga no seu orçamento e você não tem objetivos financeiros que considere mais relevantes que a troca do seu carro, não há problema em fazer uma operação nessas condições. Eu não faria nem recomendaria, mas você tem condições de tomar essa decisão.

      Abraço!

  • Anônimo

    Olá Rafael, tudo bem? sempre acompanho seu blog e semanalmente acesso para ler os novos artigos e ler artigos que ainda não li. Pois bem acessando essa página, resolvi pedir sua opnião sobre o seguinte assunto. Tenho um carro que financiei em uma época em que não me atentava para investimentos, hoje tenho uma visão mais madura sobre finanças pessoais e não sou tão leigo quanto antes, em 2011 quitei esse financiamento e estou livre da dívida, mas como trabalho com o carro da empresa, meu carro recém quitado fica parado a semana toda, esse ano já vai fazer 4 anos de fabricação, e com pouca quilometragem, vale a pena vender e assumir o prejuízo dos juros que paguei no financiamento e investir o dinheiro em renda fixa, e futuramente comprar outro se eu precisar, no caso de sair desse emprego atual, ou ficar como está?

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Essa é uma decisão que só cabe a você, apesar da venda – financeiramente falando – ser o mais viável.

      Prejuízo você teria de qualquer jeito, mesmo que tivesse comprado à vista, pois carro desvaloriza assim que sai da concessionária.

      Abraço e boa sorte!

  • Mauricio

    Avaliando a posição contrária ao financiamento em contra partida a compra a vista do veículo, chama-me a atenção alguns aspectos. Por óbvio os juros dos financiamentos são mais caros do que da aplicação. Por outro lado, se considerarmos que a fonte de recurso para o pagamento do financiamento é outra, exemplo, o salário compatível com o financiamento, parece-me coerente que ao invés de usar a poupança ( que não sendo necessário o uso do redimento terá um crescimento maior) pague o valor da prestação. O pagamento da prestação do veículo, sem considerar que você estará adquirindo um bem, acaba por forçar uma poupança extra, qual seja o valor da prestação.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Para quem não tem disciplina, seu raciocínio está corretíssimo. E isto sempre deve ser considerado.

      Entretanto, se você optar por pagar à vista e depositar o mensalmente na poupança o valor das parcelas durante o mesmo período, terá muito mais dinheiro no final das contas.

      Abraço!

  • camilo cel

    financiar sinonimo de burrice……ou entao ma fé….o que esta acontecendo muito e o seguinte;;;; o sujeito financia o veiculo paga umas duas prest. ai entra com revisao do financiamento..o processo demora para ser julgado uns tres anos…sem ele pagar nada e usando um carro novo ….depois de julgado e for dado busca e apreençao do veiculo.,.,ele entrega e o unico prejuizo e nome no serasa por cinco anos, e ele arruma uma outra pessoa e financia um outro carro e faz tudo de novo…….ai estar a riquesa dos brasileiros

  • camilo cel

    financiar sinonimo de burrice……ou entao ma fé….o que esta acontecendo muito e o seguinte;;;; o sujeito financia o veiculo paga umas duas prest. ai entra com revisao do financiamento..o processo demora para ser julgado uns tres anos…sem ele pagar nada e usando um carro novo ….depois de julgado e for dado busca e apreençao do veiculo.,.,ele entrega e o unico prejuizo e nome no serasa por cinco anos, e ele arruma uma outra pessoa e financia um outro carro e faz tudo de novo…….ai estar a riquesa dos brasileiros

  • http://profile.yahoo.com/BBHCWNJDKCUK74Y5WIG5TJRP6A nildo

    Olá Rafael,

    quais os custos de oportunidade envolvidos na decisão de uma família comprar um automóvel

    a Vista ou Financiado