Como se planejar para casar, comprar uma casa e se aposentar

157 Flares Facebook 80 Twitter 60 Google+ 5 157 Flares ×

Um leitor do Quero Ficar Rico (que pediu para não ser identificado) enviou o seguinte plano: “Atualmente, consegui juntar cerca de 3x ou 4x o meu salário na poupança e agora gostaria de partir para outros investimentos considerando os seguintes objetivos:

(1) Casar em cerca de 1,5 ano;
(2) Comprar um apartamento daqui a 10 anos (pretendo, após casar, morar de aluguel por um tempo, juntando dinheiro para comprar após já ter acumulado mais dinheiro);
(3) Aposentadoria daqui a 35 anos.

O objetivo deste artigo é analisar boas opções de investimento para cada um desses planos (casamento, moradia e aposentadoria), levando em consideração o prazo e a exposição a riscos permitida para essas aplicações.

Fundo de emergência

O primeiro ponto a ser ressaltado é a importância do fundo de emergência. Nosso leitor já começou muito bem, pois acumulou um montante suficiente para se proteger de imprevistos, caso alguma surpresa apareça. Esse fundo dará a tranquilidade necessária para poupar no intuito de alcançar os demais objetivos.

Casamento

O primeiro objetivo é juntar algum dinheiro para se casar. Como existe um prazo de 18 meses para esse evento, temos que levar em conta que as aplicações onde há a incidência do imposto de renda, a alíquota ainda não é a menor. Para prazos entre 361 e 720 dias, a alíquota é de 17,5%.

À primeira vista, o Tesouro Direto seria uma boa alternativa (que não deve ser descartada), mas minha sugestão seriam as Letras de Crédito Imobiliário – LCIs. Existe uma ótima discussão sobre as melhores oportunidades no artigo LCI: Letras de Crédito Imobiliário. Para quem tiver interesse, recomendo a leitura.

A grande vantagem das LCIs é a não-incidência do imposto de renda. Assim, a rentabilidade de 90% do CDI, representa aproximadamente 11,03% a.a. líquido. Já um título público com taxa de 12,80% a.a. (LTN 010113, por exemplo), quando descontado o IR de 17,5%, renderia aproximadamente 10,56% a.a..

Moradia

Para comprar o apartamento, a estratégia inicial já é bem interessante: morar alugado enquanto se prepara para comprar o imóvel definitivo. Já existe uma excelente discussão sobre esse tema no artigo “Comprar casa própria ou alugar imóvel?“, que eu também recomendo a leitura.

Colocando de lado a discussão sobre se vale a pena comprar o apartamento, vamos às opções de investimento. Como o objetivo é poupar para comprar um bem e há um tempo considerável até data estimada, minha sugestão é investir em ativos que mantenham o poder de compra e ainda dê algum rendimento. Para isto, nada melhor que títulos públicos indexados à inflação.

Esses títulos garantem que seu dinheiro estará protegido em relação às variações inflacionárias. Além disso, penso que é uma das opções mais rentáveis atualmente, em se tratando de Tesouro Direto, e também um dos mais conservadores. Essa combinação oferece boa rentabilidade e tranquilidade.

Aposentadoria

Como o prazo desse investimento é bastante longo (35 anos), há espaço para arriscar boa parte do montante destinado a esse objetivo. O ideal seria ter disponibilidade para estudar e aprender a investir na bolsa. Entretanto existem ótimas alternativas, como fundos e clubes de investimento, ou até montar sua própria carteira de ações.

Mas uma das melhores alternativas na relação custo-benefício atualmente são os ETFs, também conhecidos como fundos de índices. Com baixíssimas taxas de administracão, esses fundos são fáceis de investir e acompanham índices de mercado, como Ibovespa, small caps, empresas de consumo, entre outros.

As previdências privadas, apesar de muito comentadas e divulgadas, não são boas opções. As altas taxas de carregamento e administração corroem a rentabilidade. Existem, no entanto, duas situações onde esse investimento é vantajoso.

A primeira está relacionada com o benefício fiscal do PGBL. Investir até 12% da renda bruta anual em PGBL permite deduzir esse valor da base de cálculo do imposto de renda. A outra situação é aproveitar as oportunidades que algumas empresas (públicas e privadas) oferecem atualmente: até um determinado valor, a empresa investe exatamente o montante que você investir. Em outras palavras, se você coloca R$ 500 por mês na previdência complementar, a empresa aporta mais R$ 500.

Você já fez seus planos para o futuro?

Preocupar-se e se planejar para os eventos que estão por vir é muito importante e nos poupa de muitas dores de cabeça no futuro. O primeiro passo é definir seus objetivos financeiros e então traçar um plano para alcançar cada um deles.

Ao longo deste artigo, me preocupei em colocar diversos links para complementar a leitura, e recomendo que eles sejam acessados e que os artigos sejam lidos, pois estão diretamente relacionados a esse planejamento.

Ainda assim, se você tem alguma dúvida ou contribuição para esse discussão, não pense duas vezes: deixe um comentário!

Assine (é grátis)

Cadastre seu email e receba gratuitamente as atualizações do Quero Ficar Rico!


Atingiu a liberdade financeira e quer ajudar outras pessoas a alcançarem o mesmo objetivo. Continue lendo aqui!

  • Adonay

    Ótimo post Rafael, contudo eu tenho algumas considerações e questionamentos as suas sugestões:
    1. Casar
    – LCI possuem prazos de investimento, o que pode prejudicar o planejamento, além disso o investimento é muito alto, menor investimento é de 30 mil reais, um pouco demais para quem quer começar a juntar dinheiro. Para mim é um ótimo investimento, mas não cabe nos objetivos do leitor. Se eu estiver enganado pode me falar.
    2. Casa Própria
    – Estou atualmente investindo em FII pois eu acredito que a valorização do FII deve seguir a valorização imobiliária e ele ainda vai me ajudar a pagar o aluguel, tendo em vista que paga mensalmente, é isento de IR e alguns possuem uma boa liquidez, gostaria de saber a sua opinião sobre a estratégia traçada, existe algum risco o qual estou exposto e não sei, por exemplo o fundo falir e eu perder todo meu dinheiro
    3. Aposentadoria
    – Não gosto de nenhum tipo de plano de aposentadoria privada, o PGBL apesar de deduzir do IR agora, vai cobrar tudo mais tarde, pois o IR vai incidir de toda forma mais tarde, o que ele faz é protelar o pagamento. Para aposentadoria estou usando o TD de longo prazo, 2035. Em 2035 pretendo investir o dinheiro nos papei do TD que pagam semestralmente, para tentar receber trimestralmente eternamente. Os planos de aposentadoria de empresas que completam o deposito são imbatíveis, pena eu ser funcionário público e não ter essa oportunidade.

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      1) Você tem razão. Dependendo da disponibilidade financeira dele, talvez não valha a pena investir em LCI, mesmo existindo algumas em que o investimento inicial seja menor que R$ 30 mil.

      2) Também é um ótimo investimento, mas eu recomendaria o TD pelo risco ser menor. Além disso, é necessário pagar taxa de corretagem e, em algumas corretoras, taxa de custódia para investir em FII. Dependendo da disponibilidade para aportes mensais, talvez nem valha a pena.

      3) O benefício fiscal do PGBL é muito vantajoso. Dependendo da sua faixa do IR, ele pode render 27,5% a.a. + rentabilidade do PGBL, pois esse montante é descontado da base de cálculo do IR. Para entender melhor, sugiro a leitura do artigo: Sabia quando o PGBL é a melhor opção.

      Abração e valeu pela participação!

      • Filipe Giusti

        Rafael, como já comentei no outro artigo, insisto que seu cálculo para o PGBL está errado.
        Você em nenhum momento considerou o imposto a ser pago ao resgatar o dinheiro no PGBL e isso faz uma grande diferença pois este valor pode ser de 10% até 35% do valor TOTAL do resgate, não apenas o lucro.

        • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

          Vamos lá então. Para facilitar os cálculos, digamos que eu ganhe R$ 100 mil por ano e disponibilize R$ 12 mil para investir durante 10 anos.

          Caso A: Investir em títulos públicos

          Aporte mensal: R$ 1.000,00
          Taxa de juros: 12,50%
          IR (sobre rendimento): 15%
          Poupança formada: R$ 205.560,39

          Caso B: Investir em PGBL

          Aporte mensal: R$ 1.275,00 (R$ 1 mil + R$ 3.300 de economia do IR dividido por 12)
          Taxa de juros: 8,0%
          Poupança formada: R$ 229.658,45
          IR (sobre montante total): 10%
          Poupança após IR: R$ 206.692,61

          Perceba que desconsiderei a inflação para ambos e que coloquei uma taxa de juros irrisória para o PGBL. Se você subir essa taxa para 9% ou 10%, verá uma diferença gritante.

          Corrija-me se estiver enganado.

          Abração!

          • Filipe Giusti

            Muito melhor, apesar do PGBL no cálculo ter apenas 8% de rendimento, supõe-se que toda a faixa do desconto esta em 27,5%. Além disso todos os aportes feitos no PGBL que tiverem menos de 10 anos pagam mais de 10% de IR.
            Portanto os que desejarem começar um plano desses devem levar tudo isso em conta, pois provavelmente não será um bom investimento aos que estão na faixa dos 15% de imposto de renda e nem continuar fazendo aportes faltando apenas 10 anos para o resgate.
            Te incomodei bastante, mas fico muito preocupado quando as pessoas não são informadas que é apenas uma mudança em quando o imposto é cobrado e não uma isenção, alguns só descobrem no resgate, o que é péssimo.

          • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

            Sua participação é importantíssima e quanto mais claras ficarem as informações, melhor!

            Abraço!

  • http://www.bolsafinanceira.com Felipe Medeiros

    Adonay, só não entendi como casamento seria investimento. Não digo que as pessoas não devem se casar, mas casamento ficaria mais para algo como gasto/consumo e não investimento dado que não traz nenhum retorno financeiro.

    Grande abraço

    • Adonay

      Pode ser um investimento sim, perceba:
      1. Não precisa mais pagar motel
      2. Renda dobrada e contas divididas (água, luz, telefone…)
      3. Não gasta mais combustivel com visitas
      4. Presentes apenas em datas comemorativas
      5. Jantar em casa

      • http://www.bolsafinanceira.com Felipe Medeiros

        hahahahaha!!!
        Perfeito! Muito bem argumentado!
        Só não pode fazer filho!!! O retorno do investimento leva uns 40 anos pra se concretizar! hehehe

      • ANDERSON

        aaaa Adonay, contesto fortemente, e se mora com os pais a coisa piora pois vai ganhar com o casamento uma conta de água, luz, internet, condomínio, SUPERMERCADO …. ai vai
        1. Não precisa mais pagar motel –
        mas vai ganhar uma conta na farmácia!!!

        2. Renda dobrada e contas divididas (água, luz, telefone…)
        em um mundo perfeito, esta seria a teoria, porém a renda aumenta um pouco e as contas triplicam de valor.
        3. Não gasta mais combustivel com visitas. Mas gasta o dobro com viagens e passeios
        4. Presentes apenas em datas comemorativas.
        heheheh senta lá !!! Aniversário/ páscoa/ dia da mulher / dia das mães / aniver de namoro/ aniver de casamento/ natal / dia do sutiã/ dia do 1º beijo/ dia de menstruação/ dia do combate a tpm etc etc
        5. Jantar em casa.
        Com vianda ou comida da tele-entrega a R$50,00 e ganha ainda uma conta enorme no supermercado, vc irá se deparar com um fenômeno intrigante, gasta rios de dinheiro no supermercado e sua geladeira NUNCA estará cheia e sempre faltará o que mais se precisa…

        Como sempre digo, vc só sabe a merreca que ganha depois de casar…
        abs

        • Francielly M. Pierri

          Com o casamento se poupa e investe em 2, o que pode render muito mais.

          Claro, o casal precisa ter os mesmos objetivos, casamento precisa de amor, mas convenhamos é um firma.

          É como abrir uma empresa, é uma sociedade e os dois devem manter o bem estar desse negócio.

          Depois de tudo acertado entre o casal, sobre dinheiro, investimentos e objetivos o amor é só desculpa pra adiantar a cerimônia …

  • Pedro Paulo

    OLÁ RAFAEL, muito bom este tema abordado.

    no mesmo ensejo, vc poderia me dizer se, no caso de o casamento ocorrer em 12 meses qual seria o melhor investimento?

    tesouro direto acho que nao ne.

    obrigado

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Nesse caso bem específico, eu iria pela caderneta de poupança mesmo. Como os aportes seriam mensais, esse investimento seria tributado entre 20 e 22,5% de IR. Juntando isso com a liquidez e comodidade da poupança, não pensaria duas vezes. A diferença a ser ganha com outros investimentos de baixo risco seria muito pouca.

      Abraço e valeu pela participação!

  • Nicolas

    Rafael,
    um plano que seja de 5 anos é considerado de medio prazo correto? seria uma boa opcao aplicação em ações? mesmo que se tenha a possibilidade de adiar 1 ou 2 anos..

    Obrigado muito bom esse blog!

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Na minha opinião, investimento em ações é para prazos bem longos, onde o risco seria diluído ao longo do tempo. Além disso, quanto mais próximo estiver do fim do prazo, o montante deve ser paulatinamente transferido para aplicações de baixo risco, evitando o risco de uma grande queda no momento do resgate.

      Abraço!

  • Fernando Andreta

    Olá Rafael,

    Porque não há referência a consórcios na opção de comprar o imóvel? Ao ser contemplado pode-se ter acesso a uma carta de crédito de um valor muito maior do que se juntar dinheiro por alguns anos..

    Obrigado e parabéns pelo blog!

  • João Paulo

    Olá Rafael,

    No caso(3) da aposentadoria, será que não seria viável, por exemplo acumular um bom número de ações que fazem distribuição de dividendos e bonificações e dessa forma atingir a independencia financeira vivendo eternamente deles? Abração!

  • DJS

    Olá Rafael!

    Em primeiro lugar parabéns e obrigado por este blog… Já sou leitor a algum tempo, mas comento MUITO pouco :)

    Bom o que eu gostaria era de tirar uma duvida… Em sua opinião a partir de que valor seria interessante outros investimentos que não a Caderneta de Poupança?

    Abraços e mais uma vez obrigado!

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Qualquer valor, contanto que você não tenha que pagar taxas ou que a rentabilidade compense as taxas a serem pagas.

      Exemplo: é possível investir no Tesouro Direto a partir de aproximadamente R$ 100,00 e existem corretoras que não cobram taxas para esses investimentos. Entretanto se você não tiver direito a pelo menos um Doc gratuito por mês, pagar R$ 7,90 para transferir esse recurso para a corretora tornaria esse investimento inviável, pois estaria perdendo 7,9% já na “largada”.

      Cada investimento tem seus custos e estes devem ser levados em conta, além da rentabilidade.

      Abraço!

      • DJS

        Olá Rafael!

        Muito obrigado pela presteza para me responder :)

        Infelizmente eu acabei por não entender bem sua resposta, porque estou buscando agora mais informações sobre investimentos, educação financeira e etc… e por isso existem muitas coisas que ainda são obscuras para mim como por exemplo o tal “Doc” que você falou :(

        De toda forma vou buscar ler mais os artigos antigos do seu blog para aprender mais e tentar começar o quanto antes o meu planejamento financeiro.

        Abração e obrigado.

        • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

          DOC significa Documento de Ordem de Crédito e é a taxa cobrada pelo seu banco para fazer uma transferência para contas em outros bancos.

          Se você já fez alguma transferência da sua conta corrente para uma conta em outro banco, certamente pagou DOC ou TED (Transferência Eletrônica Direta, para valores acima de R$ 3 mil).

          Abraço!

          • DJS

            Mais uma vez obrigado pela atenção.

            Bem no meu caso vou “re-começar” agora então acho que o idéal é criar primeiramente um Fundo de Emergência certo? Para esse Fundo eu pretendo aplicar na poupança… seria o mais indicado? Só que infelizmente minhas condições para aportes no momento são minimas (vai ser no sacrificio mesmo) e desta forma acredito que só vou chegar no montante necessario por volta de mais ou menos dois anos… É aconselhavel aguardar esse tempo, para só depois começar a investir ou existe alguma possibilidade de fazer os dois ao mesmo tempo? Resaltando o fato de ser com pouquissimo (pobre de mim :( ) dinheiro…

            Abraços e obrigado.

  • Edicarlos Oliveira

    Rafael, Excelente Artigo e Pergunto Qual o Melhor Investimento para um Período de 3 a 5 Anos, poIs Moro de Aluguel e Quero Economizar para dar Entrada em uma Casa.

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Melhor investimento, na minha opinião, é investir na própria educação. Todos os outros tem suas vantagens em situações específicas.

      No seu caso, por exemplo, acredito que títulos públicos indexados à inflação, para manutenção do poder de compra, seria uma boa opção.

      Abraço!

  • Isabel

    Deveriam ensinar isso nas escolas!!!! Ensinam tantas bobagens inúteis!!!!

  • Leomara Paganelli

    Acredito que como ele conseguiu juntar algum dinheiro inicial, poderia utilizar para dar uma entrada e já de início financiar um imovel mais simples, usado (para não pagar o aluguel), em uma boa localização. Já estou negociando meu segundo imóvel e meu retorno líquido tem sido em média 60% do valor do imóvel,a cada dois anos, já que normalmente negocio imóveis usados. Imagine se fosse na planta!
    Existem aplicações que dão retorno maior que este,avaliando-se também a questão dos riscos, que neste caso é praticamente nulo pois a tendência é de crescente valorização?

  • Edivânia

    Bom dia,
    por favor preciso de ajuda, quero investir no tesouro direto mas não consigo, enviaram pra mim uma senha mas não consigo acessar, o que faço?
    já sei que devo investir no tesouro por favor mim ajuda.

  • Francisco Brandão

    Rafael

    Admiro muito a simplicidade com qualidade na forma de explicar assuntos complexos, para nós.

    Parabens !!!

    • http://twitter.com/SeabraRafael Rafael Seabra

      Muito obrigado pelos elogios, Francisco.

      Abraço e valeu pela participação!

  • Rafael Herinque

    Boa tarde, excelente post Rafael,comecei a ler o seu brog a pouco tempo(e estou adorando), com o intuito de fazer exatamente o que o amigo que te enviou o e-mail, só que eu estou em uma situação um pouco diferente,pois eu tenho 18 anos,e gostaria de me casar daqui 5 anos,e como deve dar pra imaginar,eu ganho poupo,pois ainda não tenho uma carreira consolidada como a maioria que frequenta o seu blog,eu gostaria de saber qual seria a melhor forma de investimento para que eu consiga me casar daqui 5 anos,e dar entrada uma casa em cerca de uns 7,8 anos,com um aporte mensal de aproximadamente 500 reais,se der para me ajudar ficaria muito grato ;)

  • Dayane

    Olá, meu nome é Dayane e tenho a seguinte dúvida…

    Ganho em torno no máximo de 1.200,00 líquido mensal. Se eu quiser financiar futuramente um apartamento em torno de R$ 100.000,00 e queira antes disso investir no Tesouro Direto para ter maior rentabilidade. Quanto seria aconselhável investir de acordo com o meu salário ao mês para alcançar esse objetivo nem prazo de uns 5 anos?

  • rapha

    olá ,meu nome é raphaela e tenho uma duvida…
    eu e meu noivo juntos ganhamos 2 mil por mes e queremos nos casar em no maximo 2 anos e tenho medo de ir para um aluguel. devo logo investir na casa propria ?