VOCÊ É POUPADOR, INVESTIDOR OU APOSTADOR?

Li uma matéria muito interessante no UOL Economia com o professor PhD da FIAP, Marcos Crivelato, sobre os diferentes tipos de relação que as pessoas têm com seu dinheiro. Ao invés de abordar os tipos de investidores (conservador, moderado e agressivo), Crivelato classifica essa relação em grupos de poupadores, investidores e apostadores. Atualmente a população brasileira está assim dividida: Cerca de 85% são poupadores, 15% são investidores e outros 5%, apostadores.

Você saberia diferenciar esses três tipos? Em qual deles você se encaixa? O propósito desse artigo é definir cada um desses grupos, de acordo com objetivo, rentabilidade, prazo e risco, para que você possa entender a diferença e saber onde se encaixaria.

Poupadores

Pela própria origem do nome, que remete à caderneta de poupança, já dá para decifrar que os poupadores são mais conservadores. Juntam um mesmo valor de dinheiro mês a mês para, após um tempo, realizar uma aquisição, seja a compra de um carro ou da casa própria, por exemplo.

Os poupadores retêm uma parte do orçamento com a finalidade de consumir ou até mesmo de ter uma reserva de emergência, mas sempre deixando a questão da rentabilidade em segundo plano. Em alguns casos, eles apenas deixam o dinheiro guardado na conta-corrente ou em casa, sem ao menos atentar à inflação, que diminui o poder de compra do valor guardado, com o passar do tempo.

Investidores

Já os investidores têm o hábito de guardar dinheiro, sempre de olho na rentabilidade, pensando no futuro e na acumulação de riqueza. Navega por várias modalidades de investimento em uma escala evolutiva: caderneta de poupança, fundos de investimento até chegar à renda variável.

Seu objetivo até pode ser uma aquisição, mas ele não deixa de guardar dinheiro depois que atinge sua meta. Continua, devido ao pensamento de longo prazo e de acumulação de um patrimônio.

Grande parte dos brasileiros ainda se encontra no grupo dos poupadores, enquanto o ideal seria que eles estivessem no dos investidores, o que não acontece devido à situação financeira difícil pela qual passa a população.

Apostadores

Neste grupo, a palavra de ordem é se arriscar, em busca de um retorno grande. Porém, existem os maus apostadores, que são aqueles que não medem esforços e correm cegamente em busca de uma grande oportunidade de ganhar dinheiro. Existem outros que são um pouco mais conscientes e que separam, para essa “aventura”, apenas parte de seu patrimônio.

Muitos jovens apostadores pensam que, se não for para investir em algo que garanta um ótimo retorno, é melhor gastar o dinheiro. Esse grupo costuma ser mais apostador porque tem a visão de que existe mais tempo para recuperar aquilo que pode ser perdido na aposta.

Os apostadores querem ganhar muito dinheiro e de forma rápida. A questão temporal, neste caso, é importante. Por isso, categorias de longo prazo não despertam interesse neles, bem como aquelas que exigem muito esforço. O importante é ganhar dinheiro fácil.

Características

Confira as características de cada perfil:

Características
Perfil Poupador Investidor Apostador
Objetivo Realizar um sonho de consumo

Fazer reserva de emergência

Garantir renda futura

Acumular patrimônio

Ganhar dinheiro fácil

Ganhar dinheiro rápido

Rentabilidade Fica em segundo plano Quer a maior rentabilidade na média Quer a melhor rentabilidade do mercado
Prazo Até atingir o objetivo de consumo Investe constantemente O mais curto possível
Risco Baixo Médio a alto Altíssimo
Quem agrupa? Classes baixa e média Classes média alta e alta Classes altas

Conclusão

Muitas pessoas deixam o dinheiro e os investimentos em segundo plano (poupadores). Já outras querem entrar no mercado com muita sede ao pote (apostadores), sem entender que existe uma relação risco x retorno (leia sobre esse assunto clicando AQUI) que deve ser levada em consideração, para não se frustrarem.

O perfil ideal, na minha opinião é ser um investidor. Precisamos ter objetivos não apenas de consumo (compra de carro, imóvel), mas também de aposentadoria e acúmulo de patrimônio. É importantíssimo aumentar nosso patrimônio anualmente, pois isso nos aproximará cada vez mais da independência financeira.

Assine (é grátis)

Cadastre seu email e receba gratuitamente as atualizações do Quero Ficar Rico!


Conquistou a independência financeira e quer ajudar outras pessoas a alcançarem o mesmo objetivo. Continue lendo aqui!

  • Rosana

    Infelizmente a maioria dos brasileiros ainda é de poupadores.
    Gostei de fazer parte dos 15% de investidores, embora não faça parte das classes altas da sociedade.

    “É importantíssimo aumentar nosso patrimônio anualmente, pois isso nos aproximará cada vez mais da independência financeira.”
    Excelente! A independência financeira é algo muito importante e deveria ser sempre planejada com mais interesse e cuidado.

  • Rosana,

    Esse é o grande segredo de ser um investidor. Você AINDA não faz parte das classes altas da sociedade. Mas se continuar com a disciplina nos investimentos, certamente um dia alcançará esse patamar.

    Abraço!

  • Falta conhecimento para a população.

  • Jônatas,

    Não só concordo com o que você disse, como faço parte das pessoas que se preocupam com essa falta de conhecimento e tento contribuir para mudar esse cenário, através desse blog e de outras ações.

    Se vocês repassarem um pouco desse conhecimento para as pessoas que o rodeiam, podem ter certeza que estarão contribuindo imensamente!

    Abraço!

  • Rodrigo

    Rafael,

    Eu concordo que a má condição financeira do brasileiro influencie esse panorama, mas nós também temos uma educação financeira péssima. A maioria dos brasileiros nem no quadro de poupadores se encontra: vivemos no passado recente um quadro inflacionário terrível que aniquilou qualquer cultura de poupança aqui e, com a eliminação desse quadro, apostamos no consumo por via de crédito.

    Não sei se há dados objetivos para averiguar isso, mas creio que essa falta de educação financeira mine completamente boa parte da nossa ascendente classe média em épocas emergenciais, que retorna à pobreza.

  • Pingback: A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FINANCEIRA | QueroFicarRico()

  • Dieegomidia

    se eu deposita 50mil quanto tenho de juros apos 30 dias

  • Vinicius Martins

    Educação financeira deveria ser disciplina obrigatória nas escolas. Por questões relacionadas a controle social mesmo não acontece. Por isso temos que buscar esse conhecimento por conta própria, sendo que muitos não tem sequer a minima noção de que o mesmo existe e tão pouco da importância do mesmo.

    Parabéns pelo seu trabalho!

    Estou aprendendo muito com o seu material!

    Abraço!!!