E Se Não Existisse Dinheiro?

486 Flares Facebook 400 Twitter 53 Google+ 17 486 Flares ×

E Se Não Existisse Dinheiro?Se não existisse dinheiro, você estaria fazendo exatamente a mesma coisa que já faz atualmente?

Se o dinheiro não importasse, teria feito a mesma graduação que você cursou (ou ainda está cursando)?

Muitos optam por fazer coisas que não gostam para viver uma vida inteira fazendo coisas que não gostam. Isso parece algo inteligente para você?

Falar é fácil, difícil é fazer

Isso é verdade. Mas também é verdade que se você não tentar, seguramente não atingirá seu objetivo.

É muito fácil dizer para largar tudo e fazer a partir de agora só o que gostamos.

Muitas vezes isso nem é possível, se considerarmos compromissos já assumidos com o trabalho ou mesmo compromissos financeiros que dependem da nossa renda atual.

No artigo Independência financeira, trabalho e qualidade de vida, defendi que devemos sempre buscar um trabalho que nos seja prazeroso, de modo a não ter que trabalhar um único dia na vida.

Expliquei também que dedicamos, pelo menos, 11 horas diárias para o trabalho. E como temos que dormir, sobrariam poucas horas para fazer algo que realmente nos dá prazer.

A questão é que quando trabalhamos em algo que não gostamos, dificilmente seremos excepcionais nesse trabalho. Afinal o único jeito de se tornar excepcional em qualquer área é gostarmos dessa área.

Onde eu quero chegar com esse artigo?

Meu objetivo é incentivar você, leitor, a refletir sobre o que realmente gosta de fazer e começar a se preparar para fazer isso. Seguramente o resultado será surpreendente.

Quando nos tornamos especialistas em determinada área de atuação e trabalhamos com prazer (e não por obrigação), sempre haverá uma forma de ganhar dinheiro com isso.

Como disse acima, dificilmente essa é uma opção para ser tomada imediatamente. É necessário se preparar, montar uma boa reserva financeira para isso. Mas é possível.

Estudo de caso: eu mesmo!

Como muitos leitores devem saber, minha formação acadêmica é Ciência da Computação. Sempre fui um bom aluno, com ótimas notas, e me formei numas das melhores universidades do Brasil nessa área (UFPE).

Apesar de gostar de trabalhar nessa área, Informática nunca foi minha paixão. Comecei a me interessar por Educação Financeira desde que recebi minha primeira bolsa de estágio, ainda na faculdade.

Comecei a ler um livro atrás do outro, a investir meu dinheiro e experimentar diversas opções de investimento. Também sempre tive prazer em compartilhar tudo que aprendia com amigos e parentes, sem ganhar nada por isso. Só o fato de alguém estar interessado já me empolgava.

Depois disso comecei a compartilhar meu conhecimento através do Quero Ficar Rico e meu interesse pela área só cresceu desde então.

Atualmente consigo atingir milhares (milhões, na verdade) de pessoas e ganho um bom dinheiro com o blog (e demais negócios online que possuo). Mas nem sempre foi assim…

No começo, o blog recebia algumas dezenas de visitas por dia e não recebia um centavo por escrever. Mas nem por isso me desmotivei.

Na verdade, só descobri que era possível ganhar dinheiro com blog após 3 anos de fundação do Quero Ficar Rico, quando reformulamos o site e colocamos algumas peças publicitárias. (Para saber como ganho dinheiro por aqui, leia o artigo sobre Internet Lifestyle).

Conclusão

Quero deixar claro, com essa curta história, que o dinheiro deixou de ser um objetivo para ser uma consequência. Meu objetivo é promover Educação Financeira.

E se eu consegui fazer o que realmente me dá prazer e ainda ganhar dinheiro, certamente você também conseguirá.

Não é preciso criar um blog ou estudar finanças. Esse foi o meu caminho. Mas – de forma alguma – é o único existente.

Descubra o que realmente te dá prazer em fazer e comece a se planejar para se dedicar a isso o quanto antes.

Por fim, quero compartilhar um vídeo extraordinário (vi na timeline do Gustavo Cerbasi) que me motivou a escrever este artigo:

(Se não conseguir assistir ao vídeo, clique aqui)

Até a próxima!

Imagem: FreeDigitalPhotos.net

Assine (é grátis)

Cadastre seu email e receba gratuitamente as atualizações do Quero Ficar Rico!


Atingiu a liberdade financeira e quer ajudar outras pessoas a alcançarem o mesmo objetivo. Continue lendo aqui!

  • http://twitter.com/InvestindonaBol Investindo na Bolsa

    Concordo que tentar conciliar o que gosta, com o que dá dinheiro é o ideal. Ou como você colocou, transformar oque você gosta de fazer em algo lucrativo. Mas infelizmente, nem sempre isso é possível. Exemplo? Muitos já “sonharam” e até já batalharam muito para serem jogadores profissionais de futebol. Quantos realmente conseguem?
    Não estou discordando da sua opinião, pois concordo inteiramente com ela. O problema é que nem sempre fazer oque gosta para se ‘sustentar’ é possível.

    Abraços.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Ainda assim é possível se dedicar para trabalhar com futebol, seja como técnico, preparador físico, professor de escolinha ou mesmo comentarista. Se jogador em si exige muito mais que vontade. Exige uma habilidade muito específica que nem todos possuem.

      No vídeo, o narrador dá um exemplo legal sobre isso. Um dos alunos dele diz que queria passar a vida no campo, montado num cavalo (o que, por si só, não daria dinheiro). E o professor pergunta: “Já pensou em ser instrutor de montaria?”.

      Acho que é possível conciliar nossos anseios com o trabalho escolhido, e ainda receber por isso.

      Abraço!

  • José

    Oi, Rafael. Primeiramente Parabéns pelo blog, sempre o acompanho.
    A título de curiosidade (por favor, entenda como curiosidade, apenas isso), você ainda mantém seu emprego antigo, o de analista do tj, conforme escreveu no outro post?

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Sem problemas, José. Continuo trabalhando por lá por três motivos:

      1) Gosto do trabalho.
      2) A carga horária é 6 horas por dia (um turno apenas).
      3) O salário que recebo está acelerando o alcance dos meus objetivos, inclusive a independência financeira num patamar que eu considero ideal.

      Abraço!

      • Rosana

        Oi, Rafael
        Tenho pesquisado sobre concursos para segundo grau que sejam de 6 horas também, mas só encontro de bancos… E nesses lugares a cobrança é muito grande, trabalhar sob pressão não é para mim.
        Você tem ideia de quais órgãos públicos tem essa escala de 30 horas semanais para essa escolaridade?
        Comecei a fazer um curso superior esse ano, mais por necessidade do que por vontade, para tentar outros concursos depois…
        Concordo com os que disseram que nem sempre é possível fazer aquilo que gostamos, mas de alguma forma temos que gostar do que fazemos senão o trabalho se torna uma tortura. Não é à toa que a palavra trabalho é derivada de tripalium, um antigo instrumento de tortura.
        Fico feliz por você ter conseguido trabalhar em algo que gosta!
        Abraços,

        • Rosana

          Esqueci…
          Começarei a ler essa semana o livro Trabalhe 4 Horas por Semana que você indicou no outro post. Espero que ele seja útil para mim também, como foi para você!

        • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

          Conheço pouco sobre o assunto, mas acredito que o Tribunal de Justiça do seu estado ofereça essa oportunidade para nível técnico.

          Abraço!

        • Rosana

          Agradeço pela resposta, vou pesquisar sobre o tribunal de justiça estadual!

  • http://www.facebook.com/people/Pobretão-De-Vida-Ruim/100003513889338 Pobretão De Vida Ruim

    Eu sempre me espelho aqui em termos de internet lifestyle e sua trajetória de site, acho mto legal.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Valeu, garoto!

      Seu blog tem muito potencial. Se precisar de algo, fala comigo.

      Abraço!

  • Joel

    Rafael, parabéns pelo artigo e pelo site.
    Gosto de ler artigos assim, que estimulam um debate importante.

    Mudando de assunto, gostaria de te enviar um e-mail. Tenho uma pergunta que gostaria de lhe fazer.

    Um grande abraço,
    Joel

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Obrigado, Joel.

      Para enviar mensagem, utilize a página de Contato.

      Abraço!

  • Leojaeger

    Caro Rafael,Vc poderia commentar sobre o LCA (Letra de credito de agronegócio) do BB? A propósito acabei de ler seu livro e agradeço pelas linções ensinadas.Sobre o artigo e o video deixo meu depoimento da vital importância de se fazer o que gostamos em nossos vidas,mesmo que nāo nos traga a remuneração esperada de maneira a evitar a “miserable life”.Grande Abraço.

  • Augusto Jorge

    Parabéns Rafael pelo artigo. O vídeo também é show de bola e nos leva a refletir pois andamos tão preocupado em ganhar dinheiro, para gastar em coisas que não nos trazem prazer, que acabamos passando pela vida sem fazer o que nos traz prazer.

    Interessante o caso do jogador de futebol, nem todos terão talento para ser um grande jogador, mas pode-se trabalhar na área e por vezes fazer um trabalho até mais “bonito”.

    Concordo que por vezes não podemos trabalhar com o quê gostamos – na maioria das vezes – por decisões “não tão acertadas” no passado, mas pela minha experiência de 47 anos, verifico, como Rafael que podemos iniciar paralelamente uma atividade que nos dê prazer e no futuro esta atividade pode ser rentável, mas caso não seja, sem problema, vivemos momentos agradáveis e felizes fazendo aquilo que nos dá prazer.

    O importante é não sermos escravos – sermos obrigados a trabalhar cada vez mais pagar nossas contas crescentes. Até no alfabeto o S de SER, vem antes do T de TER.

    Abraços

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Concordo plenamente contigo, Augusto.

      Se realmente gostamos de determinada área e conseguimos conciliá-la com nosso trabalho atual, poderíamos fazer isso por bastante tempo, mesmo que não houvesse retorno financeiro.

      A grande vantagem é que, na maioria das vezes, o retorno aparece :)

      Abraço!

  • Fernandosguario

    Maravilhoso sou de Curitiba sempre trabalhei em área comercial tinha uma loja de credito consignado ja cheguei a ter 17 funcionários o mercado não ia muito bem e o negocio foi perdendo rendimento muito rápido ano passado resolvi vender minha lona montada e resolvi encestar no ramo de seguros de vida em grupo para empresas e associações esta muito melhor o custo ficou lá em baixo e a lucratividade muito maior e agora por fim descobri q todos os bancos de credito consignado vão focar apartar do 2 semestre em seguro de vida estou muito co tente com a mudança seu artigo e importantíssimo para aquelas pessoas que não conseguem fazer o q eu fiz sem ter um empurrão pq e difícil a mudança o erro pode ser um grande vilão dessa história abraços fernandosguario@hotmail.com

  • Ayogon

    oi Rafael , eu venho acompanhando seu blog e suas dicas aproximadamente 09 meses, e ja achei pelo menos 03 dicas que me foram uteis na vida real, mais hoje sobre o que vc postou , entre o que gostamos de fazer e o dinheiro, quero compartilhar com vc que tenho 32 anos de idade, ja fiz duas faculdades, minha origem vem de fazendeiros e empresario, mais atualmente trabalho em uma empresa que nao me paga bem, e nao me sinto bem ali, acredito que tenho um melhor potencial , ja fui dono de um negocio proprio que acabou por outros motivos como exemplo: assumi muitos compromisssos que a empresa começou a ficar sem a minha direçao, e hoje como funcionario e ganhando mal , seu artigo me fez pensar , mais me fez pensar mais ainda porque nao sei onde quero chegar e o principal : me encontro perdido e nao sei o que faria ou quem eu seria se nao existisse o dinheiro, vc pode me ajudar? obrigado.

    • Augusto Jorge

      Rafael, não sei se posso fazer um comentário sobre a dúvida de Ayogon, caso não possa peço desculpas, mas como passei por essa situação e me sentia perdido, a dica que dou a Ayogon é:

      Saber para onde ir é fundamental, mas caso ainda não tenha certeza aja com eficiência e proatividade no seu trabalho ( afiando o machado) e vá buscando, testando opções até encontrar uma que lhe agrade e não fique muito preocupado, pois ninguém em 100% de certeza de tudo.
      Espero ter contribuido.

      Sds,
      Augusto Jorge

  • Edson

    OI, Rafael quero parabeniza-lo por seu maravilhoso trabalho em poder ajudar as pessoas a ter uma visão mas ampla em suas vidas financeiras parabéns e um forte abraço.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Muito obrigado, Edson.

      Abraço!

  • http://www.facebook.com/vitor.pad Vitor Brum

    Perfeito o artigo! Parabéns!!!

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Muito obrigado, Vitor.

      Abraço!

  • Carminha0305

    Oi Rafael. Adorei teu artigo, há muito tempo venho sofrendo dessa doença. Trabalhar onde não gosta, odeio o que eu faço, enfim, faz anos que me sinto infeliz profissionalmente. Mas mudar não é tão fácil, é preciso ter muita coragem , e também o apoio da família. Aqui em casa o meu dinheiro paga muitas contas, e então eu vou empurrando com a barriga com se diz por ai. Porém, estou fazendo faculdade de Adm, pra abrir uma porta entende.

  • Carminha0305

    Oi Rafael. Adorei teu artigo, há muito tempo venho sofrendo dessa doença. Trabalhar onde não gosta, odeio o que eu faço, enfim, faz anos que me sinto infeliz profissionalmente. Mas mudar não é tão fácil, é preciso ter muita coragem , e também o apoio da família. Aqui em casa o meu dinheiro paga muitas contas, e então eu vou empurrando com a barriga com se diz por ai. Porém, estou fazendo faculdade de Adm, pra abrir uma porta entende.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Sem dúvida não é fácil, mas não é necessário, no primeiro momento, largar tudo e mudar de ares. É possível fazer isso aos poucos, desde uma simples atitude de comprar um livro sobre o assunto, por exemplo.

      Abraço!

  • Nicolas Santana

    Acho isso possível apenas para quem possuiu, desde pequeno uma boa base de criação. não falo de luxos, mas sim do básico e digno para uma criança e adolescente. Pobres, e pobres MESMO, acabam que nõa tem essa base, crescem já cansados, sobrecarregados, arrumam um emprego qualquer, e os vícios de “conforto” apenas de curto prazo fazem não possuir sonhos e/ou gostos especializados. Apenas trabalham comem e dormem, pois não conheceram nada, a não ser a luta pela subsistência, e quem não conhece nada, não gosta de nada. Parafraseando Adolf Hitler. ” Só lutamos pelo que amamos, só amamos o que respeitamos e só respeitamos o que conhecemos”.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Seu comentário faz total sentido, mas ainda assim é possível ser grato pela oportunidade de trabalho que temos e sermos felizes por isso.

      E isso pode ser uma forma de gostar do que se faz.

      Abraço!

      • Nicolas Santana

        Isso é muito particular de cada pessoa, e muito raro. não vejo isso como uma possibilidade e sim como exceção.

      • Nicolas Santana

        Isso é muito particular de cada pessoa, e muito raro. não vejo isso como uma possibilidade e sim como exceção.

  • Jales de aquino

    Nem sempre é possível fazermos o que gostamos! Um excelente artigo sobre isso foi escrito por Stephen Kanitz em 2004: http://www.kanitz.com/veja/fazer.asp

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      “Nem sempre” é diferente de “nunca”. Se existe a possibilidade, vale a pena correr atrás dela.

      Abraço!

  • Rafa

    Rafael, ótimo artigo. Também estou nesta busca, mas faço aqui a pergunta que deve afligir milhares de pessoas que também não estão satisfeitas com o que fazem atualmente, mas ao mesmo tempo não conseguem achar o que as satisfaça:

    Como encontrar um propósito, um objetivo, algo de que se goste fazer, quando não se tem a menor ideia? Qual o caminho para achar a carreira que o faz feliz, ainda mais quando se aproxima dos 40 anos?

    Sera que um processo de coaching é uma forma de ajudar quem não encontra essas respostas?

    Abrs!

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Coaching pode ser um caminho. Não há dúvidas disso. Mas ler bastante e colocar em prática algumas ideias também pode ser uma opção.

      É fundamental para de reclamar, sair da zona de conforto e colocar algo em prática.

      Abraço!

  • Gelson Viveiro

    Muito bom o artigo. Só acrescentando, acho que além de fazer o que gosta, ainda é possível gostar do que faz. Exemplo: conheço uma pessoa que trabalha como gari e faz a coleta de lixo na minha rua há anos. Duvido que algum dia ele, ou qualquer outra pessoa tenha sonhado em ser gari, mas o cara trabalha num bom humor e um alto astral que contagia quem está por perto. Quando ele passa na rua cumprimentando os vizinhos e pedestres, brincando com as crianças e até cantando, tenho a impressão que este é o melhor emprego do mundo. Ou seja, parece que ele entendeu a importância do serviço que ele nos presta, que se ele não o fizer a rua ficará suja e feia, etc. Só pode ser isso porque com certeza não é o dinheiro (não sei quanto é o salário dele) que ele recebe que o faz feliz.

    Gelson Viveiro

    • Nicolas Santana

      nesse caso aí também entra a parte de se ontentar com pouco, ou melhor, quase nada.

    • Nicolas Santana

      nesse caso aí também entra a parte de se ontentar com pouco, ou melhor, quase nada.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Talvez não seja isso. Pode ser que ele apenas seja um cara digno e bastante gentil, que acredita num mundo melhor onde gentileza gera gentileza.

      Ser grato por ter uma oportunidade de trabalhar pode ser diferente de gostar daquele trabalho.

      Abraço!

  • Diego

    Rafael, não sei se já foi perguntado ou se você já respondeu. Mas, você tem alguma dica de como “se conhecer?”.
    Penso que o dificil é conciliar o que gosta com uma remuneração necessária, principalmente no começo. Mas principalmente, encontrar o que você gosta de verdade!! Parabéns pelo sucesso, continuo acompanhando diariamente.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Pergunta difícil. Mas acredito que a melhor forma é colocar em prática e então descobrir se gosta.

      Abraço!

  • http://donatobarros.com/ Donato Barros

    A melhor forma de sermos felizes, é trabalhar no que gostamos de fazer…

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Concordo, Donato.

      Abraço!

  • Gilmar

    Oi Rafael, assim como você me formei em Computação na UFPE e também nunca gostei muito da área. Gosto de tecnologia mas trabalhar com compuatação não dá para mim. Corri para os concursos públicos e hoje sou funcionário público federal. Leio seu blog sempre e desde que comecei a trabalhar comecei a investir em fundos de ações. Hoje diversifico com título públicos, fundos imobialrios e ações. Também sempre gostei da area de finanças e economia. Quando digo que gostaria de parar de trabalhar com 45-50anos as pessoas se assustam e perguntam como eu faria isso. São pessoas que não se preparam para aposentadoria e acham que tem que trabalhar até morrer para não ter uma diminuição da renda que as permitam viver. Só por curiosidade, em que período você estudou na UFPE? Parabéns pelo blog.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Olá, Gilmar!

      Estudei entre 2001 a 2005.

      Abraço!

  • Edivania_franca

    amei o vídeo, eu penso da mesma maneira, ano passado pedi demissão da empresa que trabalhava tinha tudo um ótimo salário, excelente ambiente de trabalho mas não estava feliz e analisei não quero ficar o resto da minha vida infeliz por conta de dinheiro posso ser feliz de outra forma e agora depois de sete meses que sai da empresa estou plenamente feliz e realizada, a vida é muito curta para gastarmos o nosso precioso tempo infeliz e amargurada.

  • Fabio Costa

    Exatamente isso Rafael. Ditados populares como: “é melhor ser pobre com saúde a ser um rico doente”, por exemplo devem ser substituídos por “é muito melhor ser rico com saúde”

    Estou com um post legal de “faxina financeira” e gostaria de compartilhar: http://equipepolishop.com.br/dicas/faxina-financeira

    Um abraço,
    Fábio Costa

  • Ricardo

    Ola Rafael,
    Sempre acompanho seu blog e acho sensacional. Parabéns! Achei muito interessante esse artigo e obrigado por publicar. Agora quero dar uma ideia de um artigo. Estava olhando meu extrato e percebi que o banco me concedeu um credito (sem eu pedi) de R$ 44.000,00 e fiquei pensando: Será que posso fazer com que o dinheiro do banco trabalhe para mim? Fica a dica!

    Um abraço e muita saúde.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Você acha que conseguirá colocar esse dinheiro para trabalhar mais que os juros que terá que pagar por ele?

      Dificilmente, Ricardo…

      Abraço e valeu pela participação!

  • Isadora Do Carmo

    Eu faço exatamente o que faria se não existisse dinheiro!
    Professora de Taekwondo para crianças de 3 a 13 anos na Academia Harmonia!
    http://www.tkdharmonia.com.br/
    https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Gf_pVY_94Ns

  • Alexandro c souza

    parabens pelo resumo de sua conclusão sobre o artigo como procura fazer aquilo que gosta estou em busca do meu sonho profissional

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Obrigado, Alexandro.

      Abraço e sucesso!

  • Carlinhos-menezes

    ola rafael ,quantos depoimentos a favor da telexfree vc deixa de receber pois tres vezes tentei la no site e nao deu certo ,perdi tudo que digitei,eu pedi sua opiniao a respeito ,maas nao concordo ,pois ja sabia disto que vc falou,sei como funciona piramide ,e estou ganhando dinheiro cm isto a nove anos ja ,nao é dinheiro facil nao tem que trabalhar e muito,nao conheço ainda ninguem que diga ter perdido dinheiro com isto ,pelo contrario,é só gente ganhando sua renda extra,é logoco que tem muitas frias eu mesmo ja caí em algumas furadas,mas na telexfree tem sido muito certo,meus depositos sao certinhos ,toda empresa esta sujeita a quebrar, tudo é piramide ,afinal eu nunca vou ganhar mais que o dono da empresa,e nenhum operario ganhara mais que eu que sou gerente,temos cnpj ,pagamos impostos e vendemos produtos ,afinal quem nao vende nada,nao ganha nada,sempre temos que vender algo para ganhar dinheiro,estou satisfeito com a telexfree e recomendo,um abraço .

  • Leila

    Texto perfeito, vídeo perfeito. O mais importante é fazer o que se gosta, admiro muito pessoas que dizem: Amo o que faço e faço com amor. Se Deus quiser irei dizer isso ainda, mesmo depois de ter cursado duas faculdades.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Muito obrigado, Leila.

      Abraço e valeu pela participação!