Quando comprar à vista não é a melhor opção

Quando comprar à vista não é a melhor opçãoQualquer educador financeiro ensina que devemos comprar, sempre que possível, à vista. Essa é a regra número um para evitar dívidas com carnês e cartões de crédito. Entretanto existem situações que comprar à vista não é a melhor opção.

O propósito desse artigo é mostrar quais são essas situações e como você pode obter vantagens em comprar a prazo, podendo até ganhar algum dinheiro e acumular milhas ao fazê-lo, se tiver disciplina para colocar em prática a estratégia.

Preço à vista vale para cartão de crédito, ou o contrário?

Todos sabem que vários estabelecimentos cobram preços diferenciados para o pagamento à vista (principalmente ser for em dinheiro). Ao fazerem isso, eles diferenciam o pagamento em dinheiro do pagamento com cartão de débito e com cartão de crédito. Ontem mesmo estive no shopping e tinha uma loja que deixava claro logo na vitrine: 10% de desconto para pagamento em dinheiro e 5% de desconto para pagamento com cartão de débito.

Por conta dessa prática, alguns órgãos de defesa do consumidor, como o Procon e o Pro Teste, defendem que o preço à vista vale para o cartão de crédito e que preço diferente no cartão é abusivo. O que esses inocentes órgãos não percebem é que, ao defenderem esse posicionamento, não permitem que o consumidor faça uma compra à vista com cartão de crédito. Mas que a compra à vista fique com o valor de a prazo.

Os juros estão embutidos no preço à vista!

Quando vemos anúncios de eletrodomésticos e artigos de vestuário por 10 vezes sem juros, tenham certeza que os juros já estão embutidos no preço à vista. Se não for possível negociar o preço, obtendo um desconto no pagamento à vista, saibam que a melhor opção, pasmen, é comprar no maior números de vezes possível, pelo menos do ponto de vista financeiro.

Estratégia para ganhar dinheiro e acumular milhas

Quando você estiver nessa situação, onde possui o montante para pagar à vista, mas não há desconto, tenha uma ótima dica: abra uma poupança exclusivamente para essa estratégia e deposite o montante total logo no primeiro mês. À medida que vier a fatura do cartão, retire da poupança o valor correspondente à parcela. Utilize essa estratégia para todas as compras que você fizer nessa situação.

Fazendo isso, você tem duas grandes vantagens:

  1. Ao depositar na poupança o montante total e fazer retiradas apenas do valor das prestações, quando concluir o pagamento dessa dívida, ainda restará o rendimento da poupança. Apesar de não ser muito, você ainda ganha dinheiro por não ter comprado à vista;
  2. Além de ganhar algum dinheiro, você também acumula pontos no seu cartão de crédito. A maioria dos cartões atualmente permitem a troca de pontos por milhas das principais companhias aéreas.

Atenção: essa estratégia só dá certo com disciplina!

O pré-requisito primordial para o sucesso dessa estratégia é a disciplina. Sem disciplina, essas vantagens podem ser transformar em dívidas, trazendo problemas para sua saúde financeira. Só coloquem em execução se tiverem certeza que conseguirão cumprir os passos apresentados. Uma coisa eu garanto: se conseguirem cumprir, podem ter certeza que dará certo!

Gostou do artigo? Concorda com a estratégia? Deixe um comentário!

Assine (é grátis)

Cadastre seu email e receba gratuitamente as atualizações do Quero Ficar Rico!


Conquistou a independência financeira e quer ajudar outras pessoas a alcançarem o mesmo objetivo. Continue lendo aqui!

  • Paulo Koyama

    Olá Rafael,

    Eu uso exatamente essa estratégia e confirmo que dá certo!

    Tenho um cartão de crédito sem taxa de adesão, anuidade, taxa de manutenção ou taxa de emissão de fatura; além disso ele também tem programas de pontos.

    Logo, toda e qualquer compra que eu faço que não me dá benefícios em pagar a vista eu pago com o cartão, como o almoço diário, combustível, estacionamentos, compras no supermercado, etc. Isso gera um número incrível de pontos que posso trocar por produtos bem interessantes, além das milhas aéreas ou até mesmo descontos na fatura.

    O valor que se consegue com os juros na poupança, quando aplicado o montante que seria usado para pagar a vista também pode gerar uma agradável surpresa ao longo do ano.

    Olhando casos isolados realmente pode ser pouco, mas quem não consegue ganhar pouco consegue ganhar muito?

    Parabéns por mais um exelente artigo.

    Abraços e muito sucesso.

    • Quanto mais vantagens o cartão tiver, melhor! Em relação ao pequeno rendimento, pode ser que ele seja suficiente para pagar a anuidade do cartão. Fora que quanto mais usamos o cartão, maior o desconto na anuidade.

      Abração e valeu pela participação!

    • camila

      Paulo, desculpe-me a invasão, mas pode nos dizer qual é seu cartão? Se tem algo que detesto é pagar anuidade, mesmo que seja pequena…

      • Ivairton

        Camila, uma opção também é Santander Free. Nele não há custo nenhum (sem anuidade, sem taxa de extrato ou coisas do tipo) e com programa de pontos.
        []s

      • Além do Santander Free, sugerido pelo Ivairton, tem também o cartão Petrobras. Ele tem todas as vantagens citadas pelo pessoal.

        Abraço!

        • Rogerio donatto

          Petrobras.. fiz uma análise de todos os cartões disponíveis e este se mostrou o de melhor benefício, pois seu custo é zero e te dá muitas vantagens…abraço…

  • Hans

    Bem interessante.

    Quando o preço a vista é igual a prazo, eu geralmente procuro outro local para comprar, geralmente consigo um preço mais barato a vista.

    Mas o que me chamou a atenção foi essa estratégia com o cartão de crédito.

    Rafael e Paulo vocês podem divulgar quais cartões usam ou quais recomendam eu dar uma olhada para adquirir (pois não uso cartão de crédito ainda)?

    Obrigado.

    • Paulo Koyama

      Olá Hans,

      Realmente, um bom desconto á vista é sempre mais vantajoso, porém há casos onde na maioria dos lugares isso não é negociável, a exemplo dos casos que citei acima.

      O cartão que eu utilizo é o Petrobrás Visa, também fui bastante resistêntes a cartões de crédito durante um bom tempo, porém como o Rafael falou, com disciplina é possível evitar as armadilhas e até obter vantagens.

      Segue o link para mais informações sobre esse cartão: http://www.br.com.br/wps/portal/cartaopetrobras

      Abraços e sucesso! =)

    • Tenho o cartão Platinum do Banco Real, mas cada banco utiliza um nome diferente para cada tipo de cartão. O cartão ideal é o que oferece ótima bonificação (1,5 ponto por dólar gasto) e que os pontos não expiram.

      Depois converse com seu gerente e tente negociar a anuidade. Muitas vezes é possível conseguir um bom desconto e até mesmo isenção dessa taxa. Esteja atento também às demais taxas que o banco pode querer “empurrar”.

      Quanto à sua estratégia, continue colocando-a em prática. Sempre que o preço à vista tiver desconto, não pense duas vezes. Compre à vista.

      Abração e valeu pela participação!

  • van der Velden

    Gostaria de saber se, além do Paulo, mais alguém tem recomendações sobre cartões que não cobram taxas ou tarifas e que acumulam pontos e milhas. Abraços!!

    • Paulo Koyama

      Olá van der Velden,

      Dê uma olhada nesse site: http://www.anuidadezero.com/

      Lá você encontra informações sobre diversos cartões sem anuidade, apenas fique atento, pois alguns cobram taxa de emissão de extrado.

      Talvez algum seja interessante para você. =)

      Abraços.

    • Converse com o seu gerente e informe que está pesquisando cartões e questione se ele poderia te oferecer alguma vantagem significativa, já que você é cliente do banco. Pode ser que apareça alguma coisa interessante.

      Abração e valeu pela participação!

  • Rosana

    Rafael,
    Eu também utilizo a estratégia de comprar parcelado quando o preço é igual ao do preço à vista e deixo o dinheiro rendendo na poupança.
    Além disso, com mais compras no cartão de crédito mais desconto eu consigo na anuidade.
    Abraços e sucesso,

    • O importante é transferir o montante total para a poupança assim que fizer a compra, para tirar o dinheiro da vista e deixar de contar com ele. Ajuda na disciplina.

      Abração e valeu pela participação!

  • Rodrigo Arouca

    bom dia a todos!
    cara eu nao gosto do cartao de credito, pois ele te deixa com a impressao de q vc tem o valor do limite pra poder gastar, e na vdd aquilo é um emprestimo de curto prazo, e se não for pago no dia tem juros. Eu sou a favor ainda de pagar tudo a vista, e negociar com a loja sobre o desconto, que gira em torno de 10% (melhor que 0,5% da poupança) com o argumento de q pagando em dinheiro ele nao precisa pagar para as maquininhas do cartao a porcentagem sobre o valor, que ao inves disso ele me da um desconto. se a loja mesmo assim nao aceitar, digo a ela q eu vou na concorrente, eu garanto q ela vai aceitar. Tenho um escritorio de contabilidade, e vejo muitos empresarios clientes meus reclamando das porcentagens q a maquina do cartao cobra, nada melhor entao do q dar desconto ao cliente ao inves de pagar a %, com isso o cliente sai de la satisfeito, e muitas vezes ate o cliente acaba comprando outro item com o valor do desconto que conseguiu. abraços a todos!

    • Quem tiver essa impressão realmente não pode utilizar o cartão de crédito. Você deve usá-lo a seu favor, e não contra. O limite do seu cartão deve ser seu saldo, e não o limite que a operadora concede. Por esse motivo, a disciplina é essencial.

      Quanto ao pagamento, sempre que tiver desconto, a compra tem que ser à vista. Não tem nem o que pensar. O problema é que muitos estabelecimentos (lojas de shopping ou lojas na internet) não oferecem desconto no pagamento à vista. É nessas condições (e apenas nessas) que a estratégia do artigo vale a pena.

      Abração e valeu pela participação!

  • Rosana

    Se eu conseguisse sempre o desconto de 10% com certeza compraria à vista!
    Vou seguir as dicas do Rodrigo em minha próxima compra, dizer que vou comprar no concorrente, espero que funcione comigo também!
    Abraços,

  • Vagner

    Rafael, realmente muito boa essa dica, eu já utilizo essa estratégia há algum tempo e realmente funciona.
    Além do dinheiro render nas aplicações, no meu caso participo de muitas promoções no meu cartão e acumulo pontos, só tomo cuidado pra não “estourar” o que posso pagar por mês, já que o limite do cartão é mais que o dobro do salário mensal. Só vale a pena pagando o valor total da fatura… pra evitar qualquer falha no plano, além de guardar os comprovantes de compra no cartão, ligo para a administradora do cartão dez dias antes do vencimento da fatura e já faço pagamento avulso do total da fatura, assim quando a mesma chega, já está paga… enfim, a palavra é: DISCIPLINA!
    Parabéns pelo Post e pelo Blog, que a cada dia fica melhor!

    • Sem dúvidas, Vágner. Essa estratégia só funciona se você pagar o valor total da fatura. Os juros de cartões de crédito são exorbitantes!

      Abração e valeu pela participação!

  • Valério

    Ocorre que o incômodo, com custos, para a quitação das prestações, pode constituir mal maior que as vantagens obtidas por não parar os juros imbutidos no preço à vista, dependendo, evidentemente, dos juros imbutidos e do número de prestações. Também por não saber a média do valor do juros imbutidos na compra à vista, pergunto qual o valor mínimo da compra que sustifique o parcelamento?

    • Se existir a possibilidade de pagar à vista por um preço menor, não há o que se discutir. Essa é a melhor opção.

      No entanto, caso o estabelecimento se recuse a conceder o desconto, seguir a estratégia apresentada no artigo passa a ser uma boa opção.

      Não existe valor mínimo para parcelamento, caso você seja isento da anuidade do cartão. Se não for, tem que fazer algumas contas para saber se compensa.

      Abraço e valeu pela participação!

      • Valério

        Estou obrigado.

  • Anderson

    O método que o Paulo utiliza é o único que apresenta vantagem, um cartão sem nem uma despesa, que da prêmios e pontos e utilizado somente no que vc não possui desconto se pagar em dinheiro, como é o caso do supermercado, combustível e refeições. Pois mesmo o procon proibindo, lojas e comércios on-line oferecem bom descontos no pagamento por boleto bancário ou a vista em dinheiro.
    Eu já prefiro deixar de concorrer a promoções e acumular pontos à correr o risco de ser “premiado” com uma taxa extra, um débito indevido, pq só quem tem cartão sabe o quanto isso é costumeiro acontecer e o quanto incômodo é você provar que focinho de porco não é tomada.

    • Realmente não é incomum acontecer algumas cobranças indevidas. Entretanto, se você é isento, basta solicitar o estorno. Não vejo muita complicação por esse lado.

      Na minha opinião, as vantagens oferecidas compensam esses pequenos problemas, mas sempre ressaltando que o mais importante de tudo é ter disciplina para não incorrer nas exorbitantes taxas de juros dos cartões de crédito.

      Abraço e valeu pela participação!

  • Tiago Carvalho

    Bom post. eu utilizo uma parte desta estratégia, que é comprar a prazo quando não consigo desconto a vista.
    A parte de investir o valor na poupança é bem interessante, vou passar a praticar.
    Não tenho nenumtipo de taxa no meu cartão, o que facilita ainda mais.

    • Não pagar nada pelo cartão é, sem dúvidas, um grande impulso para começar a utilizar essa estratégia. Boa sorte!

      Abração!

  • Eric

    Rafael, você se esqueceu de outra vantagem de comprar parcelado. Mesmo quando há desconto no pagamento a vista, só vale a pena se o desconto for superior à inflação esperada para o prazo máximo que a loja permite parcelar. Por quê? A inflação corroe o poder de compra das pessoas, mas uma vez que vc compra algo parcelado vc já contratou o valor nominal na hora da compra, portanto, aquele valor só será corroído pelo valor da inflação. Isso é, se a inflação é de 0,4% ao mês e um valor de 1000 é parcelado em 10 vezes, a pessoa estará pagando efetivamente pelo bem 100 no primeiro mês, 100/(1,004) = 99,60 no segundo mês, 100/(1,004)^2 =99,20 no terceiro mês e por aí adiante, até o último mês. No fim das contas a pessoa terá “pago” em termos reais pelo objeto 100*{ [(1/1,004)^10 -1] / [ (1/1,004) – 1 ]} ( isso é uma soma de PG com tempo=10, termo inicial=100, e razão = 1/1,004 , que é quanto a inflação corroe por mês = 0,4% a.m.). No fim das contas dá R$ 982,26 em termos reais pelos R$ 1000,00 comprados a 10 meses. Portanto, comprar a vista só valeria a pena se o desconto fosse de no mínimo de 1,7% mais o que vc consegue fazer na poupança nesses dois meses, digamos, uns 3% em 10 meses, só valeria a pena comprar a vista se o desconto fosse maior que 4,7%. Claro que os descontos são sempre maiores que isso, mas vivemos em uma economia de inflação controlada, mas se a inflação explodir, é melhor comprar sempre parcelado, e seguindo a lógica de não se enrolar. No entanto, essa lógica que citei é mto complexa para o consumidor comum e ainda simplifiquei na parte final, mas eu sempre faço assim, só compro a vista se o desconto é superior ao rendimento do tempo de parcelamento e supere o que eu consigo corroer com a inflação ao longo do prazo.

    • Você está corretíssimo, Eric! Tanto que me motivei a escrever sobre esse assunto após uma aula de matemática financeira no MBA.

      Utilizava essa estratégia que descrevi, mas sem colocar na ponta do lápis, até porque geralmente o pessoal não dá desconto ou quando dá, é de no mínimo 5% para o pagamento em dinheiro. Por isso o desconto quase sempre é vantajoso.

      Mas quem tiver conhecimento de matemática financeira e souber utilizar uma HP, sem dúvida é melhor fazer as contas.

      Abraço!

  • Eric

    Hahaha, e antes que me pergunte. Sim, sempre que vou fazer uma compra que o bem custe mais de 500 reais eu SEMPRE levo minha HP e faço as contas na hora pra saber se vale a pena parcelar ou se é melhor o desconto a vista. Para a conta da inflação eu levo em consideração sempre a meta do governo de 4,5% a.a. (e só aplico em investimentos que me dêem retornos reais positivos ao ano). Desde que a CPMF acabou minhas contas ficarão mais fáceis, hehehe, mas agora estão querendo ressucitá-la. 🙁 !!!! Nãooooo, se fizerem isso eu fundo uma Al-Qaeda brasileira e jogo um avião no Congresso Nacional. rsss.

    • Pelos cálculos apresentados no comentário anterior, não tive dúvidas de que isso era obra da boa e velha 12C!

      Cara, nem me fale do CPMF (ou qualquer que seja o nome para ressucitá-lo), pois me dá arrepios. Além de levar uma parcela significativa do nosso dinheiro, não é utilizado como deveria, assim como a maioria dos tributos que pagamos.

      Mas ainda vai dar muito o que falar. Vamos aguardar e debater.

      Abração!

  • Rosana

    Eric,
    Essa volta da cmpf foi uma jogada muito suja.
    Se 3 dias após ser eleita já mostra isso, imagine o que nos aguarda nos próximos anos…
    Acho que está mais que na hora da população brasileira se unir pois passamos mais de 4 meses do ano trabalhando para sustentar o governo!

    Rafael,
    Acho que seria interessante você fazer um artigo sobre o assunto, o porque, as desculpas para o novo imposto e o quanto issi vai impactar no nosso bolso, principalmente em relação aos investimentos.

    Abraços,

    • Pois é, Rosana. O assunto ficou devidamente guardado na gaveta, esperando o fim do pleito para vir à tona. E aparentemente foi tão bem guardado que nem a oposição explorou o tema. Ou será que ela também sabia e concordava com a ideia? Vai saber…

      Mas sua sugestão foi ótima e vou ler bastante sobre o assunto para abordá-lo por aqui.

      Abraço e valeu pela participação!

  • Rosana

    Rafael,
    Me passou pela cabeça agora: que tal uma enquete sobre o assunto volta da cpfm?
    Abraços,

    • Mais uma ótima sugestão, apesar da resposta me parecer quase que unânime em contrário. Ainda assim devo colocá-la no ar juntamente com o artigo sobre o tema.

      Abraço!

  • Rosana

    Rafael,
    Encontrei esse abaixo-assinado divulgado no O Dia online. Achei interessante postar aqui o link da reportagem. No final tem o link para a petição.
    http://odia.terra.com.br/portal/brasil/eleicoes2010/html/2010/11/proposta_de_criacao_de_imposto_semelhante_a_cpmf_gera_protesto_na_internet_122320.html
    Acho que esse é o momento da população brasileira começar a se mobilizarm pois essa é somente a porta de entrada para outras “invenções arrecadatórias”.
    Abraços,

    • Obrigado por mais essa utilíssima informação. O artigo sobre o tema deve sair até o final da semana!

      Abração!

      • Rosana

        Fico feliz que tenha gostado da reportagem!
        Aguardo seu artigo sobre o tema.
        Abraços,

  • Quanto a cartão de crédito, seria simples se houvesse interesse…é só regulamentar o setor, limitar o percentual máximo cobrado nas transações financeiras (algo entre 1% e 2%) e diminuir o tempo de transferência do dinheiro para, no máximo, 24 horas, em pagamentos não parcelados. Em relação a não se poder fazer diferenciação de preços, acho certo. A empresa não é obrigada a trabalhar com cartão de crédito. E se quiser trabalhar, mesmo com os custos, pode-se fazer um planejamento financeiro e trabalhar com descontos iguais em dinheiro e cartões, com tranqulidade. Além disso, se vc consegue desconto na negociação quer dizer que o preço do produto não é o valor à vista, o que contraria o CDC que pede exposição do valor à vista da mercadoria. E como o desconto iria variar de acordo com o poder de negociação do clente, seria praticamente impossível fiscalizar o preço dos produtos. Queria ver como seria fazer compras no mercado, com cada consumidor querendo obter um desconto diferente e com os produtos com preço diferente para cada modalidade de pagamento.

  • Bem bolado essa estratégia da poupança, não tinha pensado nisso… Adorei!!!

    PARABÉNS PELO BLOG!

    • Obrigado, Karoline.

      Abraço e valeu pela participação!

  • Olá Rafael, eu não tinha lido este artigo ainda, mas eu já tinha deduzido isso a um bom tempo… quando o valor do produto é acima de R$ 1000 e não tem mais de 10% de desconto avista… eu sempre prefiro aplicar o dinheiro ( sofisadireto ou poupança )
    e ir pagando a partir do mês que vem com um dos três cartões de credito com vencimento dia 1, 12, 23 (não tem anuidade) isso me faz render um dinheiro que acaba sendo maior que o desconto que teria a vista. sim e ainda acumula pontos rs.

    depois que comecei a visitar o seu blog comecei a pensar em todas as situações que eu poderia estar “deixando de ganhar dinheiro”.

    A dica é ótima venho fazendo a mais de 2 anos e realmente tem retorno.

    • Excelente depoimento, Robson. A ideia é exatamente essa: aplicar o dinheiro e resgatar no momento de pagar a parcela.

      Entretanto esta prática só é recomendada se você realmente poupar o dinheiro. Caso contrário, estará sabotando a si mesmo.

      Abraço!

  • Charles Ferreira

    Um amigo me recomendou este artigo hoje, e fiquei muito feliz em ter a confirmação (ainda mais por ser um artigo antigo) de algo que aprendi na prática. O primeiro comentário, do Paulo Koyama, define exatamente o que eu faço.

    No começo, tive bastante medo de me endividar, mas a forte disciplina tem dado ótimos resultados.

    Sei que o artigo é antigo, mas, se ainda vale uma dica, compartilho aqui minha última “descoberta” nessa questão: quando você colocar o dinheiro na poupança pra retirar aos poucos ao longo dos meses de vencimento, programe-se antecipadamente para saber quanto vai precisar retirar da poupança naquele mês. Mês passado paguei uma inconveniente taxa de R$ 1,70 por realizar mais de 4 saques da poupança. Por isso, este mês eu calculei tudo que precisaria pagar no débito, mais o valor da minha próxima fatura do cartão de crédito, e deixei o montante na conta-corrente. O restante, sim, foi tudo pra poupança.

    • Excelente dica, Charles. Só coloque na poupança o que você vai retirar após 30 dias. Antes disso, é melhor deixar na conta corrente mesmo, pois incide IOF sobre retiradas antes de 30 dias.

      Abraço!

  • Daniel

    Excelente, estou com trinta anos e agora percebo coma ja perdi dinheiro, mas agora estou decidido a poupar com inteligência, só uma duvida, pago taxas do meu cartão de drédito, posso ligar no banco e pedir para tira-las e quais os melhores cartões de créditos que geram mais bonus?

  • Robson Luciano

    Ótimo Artigo! eu uso essa estratégia quando vou comprar algo com um valor mais elevado, o bom que muito das vezes você paga a parcela com o salário e continua com o dinheiro guardado, muito legal mesmo.

  • Charle rocha

    concordo e muito pratico mas como vc disse com muita disciplina.

  • Lidiana

    Faço isso direto, e detalhe, descobri tudo isto fazendo um simples pós-médio de um ano e meio em ADM (administração de empresas), lidar com dinheiro é muito fácil, o que falta é autocontrole e disciplina do dono temporário do dinheiro.

    • Concordo, Lidiana. O problema é que muitas pessoas não têm disciplina ou querem complicar algo que é super simples 🙂

      Abraço!

  • adriane

    Essas informações são de grande valia para meu conhecimento.

  • Hugo

    É interessante como temos noção destas dicas , mas, não a usamos.

    • Realmente são dicas muito simples e fáceis de serem colocadas em prática. Entretanto poucos o fazem.

      Abraço!

  • Laécio

    Olá, Rafael. Eu já tinha visto essa dica em outro lugar. Ela é ótima!
    Tentei aplicar, mas realmente me faltou disciplina, mas essa minha disciplina trouxe um fator contrário. Coloquei o dinheiro da compra na poupança, mas, quando chegava o dia do vencimento do cartão, eu acabava pagando com o meu pagamento do mês seguinte. Assim, o valor inicial foi ficando na poupança. Isso aconteceu outras vezes e foi se tornando um círculo virtuoso. Com isso consegui programar meus gastos e poupar dinheiro.
    Parabéns pelo blog. Estou gostando muito dos seus artigos.