Entenda o caso Banco Panamericano

Os principais sites, jornais e telejornais do país inundaram o noticiário abordando o caso do Banco Panamericano, controlado por Sílvio Santos. Folha, UOL e G1 são apenas alguns exemplos. O banco apresentou algumas inconsistências em seu balanço, que encobriram por algum tempo um rombo próximo a R$ 2,5 bilhões de reais.

O objetivo deste artigo é explicar o que se passa com o Banco Panamericano em poucas (e simples) palavras, baseadas no passo a passo do G1, para ajudar a compreender o que está acontecendo e mostrar como estamos vulneráveis à falta de devida regulação e fiscalização sobre as instituições financeiras.

O Banco Panamericano

Com um total de bens e direitos no ativo no valor de R$ 11,9 bilhões (dados de junho, já que o balanço do 3º trimestre ainda não foi divulgado) e 2,1 milhões de clientes ativos, o Panamericano é o 21º maior banco do país. O banco é controlado pelo Grupo Sílvio Santos e tem a Caixa, “o banco que acredita nas pessoas“, como um dos principais sócios.

Rombo

Em outubro deste ano, o Banco Central detectou um rombo de R$ 2,5 bilhões no Panamericano, pois o balanço não estaria refletindo as reais condições da instituição. Um dos principais problemas é que o banco manteve em seu balanço carteira de ativos que já haviam sido vendidas.

Participação da Caixa

A Caixa Econômica Federal comprou em dezembro de 2009, por R$ 739,2 milhões, 49% do capital votante e 35% do capital total do Panamericano. A Caixa diz que a operação foi feita “adotando as melhores práticas do mercado”, mas fica a pergunta: Por que o rombo não foi detectado nas auditorias feitas antes da compra? Alguém se habilita a respondê-la?

Negociação

Os controladores do Panamericano receberam um prazo para adequar suas contas. Em 11 de outubro, o Banco Central encaminhou o empresário Sílvio Santos, único acionista do grupo, ao Fundo Garantidor de Crédito (FGC), a quem foi pedida assistência financeira.

Em 9 de novembro, o Grupo Sílvio Santos conseguiu a aprovação, pelo FGC, do empréstimo de R$ 2,5 bilhões. Sílvio Santos terá 10 anos para quitar o empréstimo, feito sem juros, apenas com correção monetária. Além disso, ainda terá 3 anos para começar a pagar (carência).

O empresário colocou as 44 empresas do grupo como garantia. O banco, o SBT (“a TV mais feliz do Brasil”… ou não), o Baú, a Liderança Capitalização e a Jequiti foram oferecidas como garantia direta.

Troca no comando

As instituições negam que tenha havido uma intervenção no Panamericano. Mas a diretoria do banco foi toda substituída e, dos nove novos executivos, cinco são da Caixa.

Acionistas

De acordo com o Panamericano, em comunicado ao mercado, o aporte de recursos não muda as participações acionárias do banco. As ações da instituição financeira, no entanto, sofrem quedas acentuadas desde outubro, tendo perdido ontem (10), cerca de 30% do seu valor.

Conclusão? É com vocês!

Ao invés de fazer uma conclusão, prefiro deixar algumas perguntas para vocês responderem:

  1. Será que o “banco que acredita nas pessoas” realmente acreditou que os auditores não perceberam esses furos durante a auditoria realizada antes da compra?
  2. Será que a “TV mais feliz do Brasil” ficou satisfeita em ser dada como garantia de um banco com solvência semelhante ao Lehman Brothers?
  3. E mais importante: será que se eu “errasse” na declaração do meu imposto de renda (leia-se divulgação do balanço) e tivesse, na verdade, milhares de reais de tributos a pagar, o governo passaria a mão na minha cabeça e me concederia um empréstimo para ser pago em 10 anos, sem juros e com carência de 3 anos?

Fiquem à vontade para respondê-las através de comentários!

Assine (é grátis)

Cadastre seu email e receba gratuitamente as atualizações do Quero Ficar Rico!


Conquistou a independência financeira e quer ajudar outras pessoas a alcançarem o mesmo objetivo. Continue lendo aqui!

  • fabio

    Essa última pergunta foi ótima! lol

  • Paulo Koyama

    Realmente, mas no caso dessa última questão não há duvidas de que o governo tem interesse direto em manter o banco, que bem ou mal, gera milhares de empregos e contribui para a economia.

    A coisa com que mais me preocupo agora é decidir se confio na recuperação do banco ou não, pois com uma queda dessa a mão coça pra tentar dar uma especuladinha né. rsrs

    • Não há dúvidas sobre o interesse no governo, mas existem várias sobre a recuperação do banco. Entretanto, o fato do Sílvio Santos ter colocado praticamente todas as suas empresas como garantia já dá alguns sinais de que o Panamericano possa se recuperar.

      A primeira providência já foi tomada e a diretoria foi completamente trocada. Agora é esperar para ver, mas se tudo der certo, a especuladinha de hoje vai render bastante no futuro!

      Abração e valeu pela participação!

  • Rodrigo Arouca

    bom dia a todos!
    concordo com o Paulo, a mao coça pra especular nesses casos, e o silvio santos dificilmente entra em barco furado, é uma boa pedida. quanto ao emprestimo concedido SEM JUROS E COM 36 MESES DE CARENCIA, por algo errado que aconteceu, tem um cliente meu que diz o seguinte: QUEM TEM $ TEM VANTAGENS, E QUEM NÃO TEM PAGA JUROS, ou seja, o grupo SS tem muitos patrimonios, e por isso o governo faz esses tipos de emprestimos para ajudar OS “POBRES” COITADOS…maaas, se a gente deixar declarar algo no imposto de renda, vamos pra malha fina, pagamos impostos altos junto com multa, e ainda por cima a receita fica de olho nas suas proximas declarações por pelo menos 5 anos…..
    Quanto ao Silvio Santos e seu grupo, se eles tem essa vantagem, o melhor é aproveitar mesmo, até pq sou fã do modo de administrar do Silvio, e tbem pq até um funcionario da Receita Federal disse em uma entrevista q o SBT é uma das empresas que paga os impostos de forma correta…
    abraços.

    • Ter dado boa parte do seu patrimônio como garantia é um indicativo de que Sílvio Santos não medirá esforços para corrigir esse problema, apesar de ter um longo caminho a ser percorrido.

      Abraço e valeu pela participação!

  • anderson alves

    Estamos no Brasil, fazer o que, é difícil acreditar que a caixa não sabia da condição do banco e se não pegou em auditorias passadas é pior ainda, o que demonstra incompetência ou vista grossa dos “profissionais” da caixa.

    Mas que dá vontade de investir nas ações dá mesmo, como deu na situação da Varig que chegou a render quase 1000% em alguns dias com as possíveis intervenções do governo. Como profissionais das instituições financeiras públicas tem informações antecipadas e previlegiadas em condições como essa para se aproveitar da situação, logicamente mascarando com laranjas.

    • Pode ter certeza que existem milhares de pessoas que estão nesse mesmo dilema. No entanto existe uma grande diferença entre especular e apostar.

      Se você estiver se baseando em informações do mercado para tomar essa decisão, seria especular. Mas simplesmente comprar porque caiu bastante e torcer para retomar, seria apostar.

      Veja onde você se encaixa para diminuir seu risco.

      Abração e valeu pela participação!

  • Rafael

    A última pergunta foi hirível, digna de principiante. Estamos falando de um cara com um fluxo de caixa de milhões todos os meses, e não de um zé ninguém que montou um site qualquer.

    • Esse questionamento foi claramente provocativo, para que as pessoas reflitam sobre como as instituições financeiras são tratadas de forma diferenciada em relação a vários outros setores da economia, mesmo praticando taxas de juros extorsivas (12% ao mês), quando conseguimos apenas 12% ao ano, por exemplo.

      Seria por que a Caixa tem grande participação nessa sociedade?

      Não acho justo esse tratamento diferenciado para as instituições financeiras, tanto para ajudá-las com ações (como essa) ou omissões (fiscalização ou regulação).

      Abraço!

      • anderson alves

        Realmente é um absurdo um empréstimo sem juros, com apenas correção monetária, para pagar daqui a 10 anos com carência de 3 anos.

    • anderson alves

      Não foi uma pergunta e sim uma afirmação.

  • Welliton Sá

    Impressionante o autor não ter conhecimento da real origem do empréstimo, creditando-o ao governo quando na verdade trata-se de um fundo privado mantido pelos bancos, sem qualquer intervenção governamental. Mais ridículo ainda querer equiparar uma instituição financeira, cuja falência poderia disparar uma grave crise no mercado financeiro, com uma pessoa física comum. Péssimo texto, com entendimento e opiniões distorcidas, típico de um troll que não sabe o que fala.

    • Eric

      Wellington, ele está dando uma opinião pessoal.

      E outra, vê se os republicanos americanos ( sim, a direita, altamente correlacionada com os valores tradicionais e elitistas de uma população) foram a favor da ajuda financeira que o governo americano democrata (centro-direita, quase esquerda atualmente, rss) deu à instituições como AIG e Fannie Mae e Freddie Mac. A resposta é um alto e claro: NÃO!!!!

      E sabe por que? Isso é a prova da ineficiência deles.

      Aí você vem: Mas ahhhhhh, se não ajudasse o efeito dominó destruiria o mercado financeiro mundial.

      A resposta de um neoliberal para seu argumento é: PROBLEMA, faz parte!!! Tem mais é que quebrar mesmo!! Ineficiência no capitalismo se combate jogando fora. O mundo sobreviveu à crise de 1929 e voltou muito mais produtivo.

      Concordo que pelo aspecto social seria um desastre. Mas no aspecto econômico Marshalliano seria o melhor.

      E achar que um Panamericanozinho vai contaminar um Bradesco, um Itaú, um Banco do Brasil, um Cruzeiro do Sul, um Safra mostra que você conhece muito pouco do Sistema Financeiro Brasileiro. Ele é um dos mais regulados DO MUNDO, melhor regulado que de países desenvolvidos.

      Décadas de 80 e 90 de hiperinflações e “presidentes sensacionais” como Sarney e Collor, e experiências com o Banco Santos e Econômico tiveram essa influência positiva na qualidade da gestão do nosso sistema financeiro.

      Argumentos são sempre válidos dependendo do ponto de vista das pessoas. Você acha estúpido o autor do blog comparar pessoas físicas com o banco Panamericano.
      Eu , semi-neoliberal, acho estúpido ajudar empresas ineficientes em termos capitalistas a continuarem existindo.

      • Eric

        São pontos de vista e óticas distintas.

      • E quanto ao risco de “contaminação” do sistema financeiro, o próprio presidente do BC afirmou que não há risco de a crise no banco PanAmericano afetar o sistema financeiro ou outras instituições bancárias. Quem quiser escutar o podcast da CBN comentando o assunto, clique aqui.

        Abração!

      • Eder

        Eric o Estado Mínimo já foi pro brejo faz tempo hein ?!?!?!?!?
        Crescer o bolo pra depois repartir, ensinar a pescar e não dar o peixe… etc

        Concordo um pouco com o Welliton. No Brasil virou moda falar bobagem, até esporte to achando. É um empréstimo de todos os bancos. Não sabia que o Governo manda no ITAU, Bradesco, Santander, etc.

        Outra EUA não é modelo de país na minha opnião. Um país que sobrevive através de guerras matando inocentes, não pode ser modelo de nada no mundo. Nem também neoliberal, o país com maior intervenção estatal que eu conheço no mundo é os EUA.

        É isso… boas discussões e aprendizado… isso q vale…

        Abraços

    • Juridicamente você está certíssimo, pois a natureza jurídica do FGC é de direito privado (assim como a Petrobras também é). Mas sua criação foi autorizada pelo governo, é mantido compulsoriamente pelas instituições financeiras (de acordo com a Resolução 3.251) e tem como objetivos prestar garantia de créditos contra instituições dele associadas, nas hipóteses de:

      * decretação da intervenção, liquidação extrajudicial ou falência da associada;
      * reconhecimento, pelo Banco Central do Brasil, do estado de insolvência da associada.

      Em outras palavras, ele serve para proteger os clientes em caso de intervenção, falência ou estado de insolvência, casos em que o Banco Panamericano não se encaixa, tanto que banco fez questão de negar qualquer intervenção.

      Essa garantia serve para garantir os depósitos de pessoas físicas até R$ 60 mil, e não para remendar buracos, ainda mais advindos de fraudes, e não apenas de má administração.

      Apesar do FGC ser instituição privada e teoricamente independente, não acredito que não haja dedo do governo nessa história toda, principalmente pelas necessidades da Caixa.

      Abração e valeu pela participação!

  • Giuliano Tognetti

    Quem está fazendo o empréstimo de R$2,5 bi não é o governo, mas sim o Fundo Garantidor de Crédito – instituição privada formada por todos os bancos.
    O FGC foi criado justamente pra proteger os correntistas, é ele quem garante o pagamento de até R$60mil caso o seu banco quebre, isso cobre 99% dos clientes.
    Portanto, esse dinheiro “barato” serve pra isso mesmo, salvar bancos da falência.

    • Como escrevi no comentário acima, o objetivo do FGC é justamente proteger as instituições financeiras quando decretam intervenção (não foi o caso), liquidação extrajudicial (não foi o caso) ou falência (não foi o caso), ou pelo reconhecimento pelo BC de estado de insolvência (que ainda não foi o caso). Então, na teoria, esse empréstimo estaria fora do escopo do FGC, apesar de, na prática, pode ser que o Banco Panamericano se encaixasse em um desses objetivos.

      Quanto à natureza jurídica, você está certo, apesar de eu não concordar que o governo não tenha participação nas decisões do FGC.

      Abração e valeu pela participação!

      • Giuliano Tognetti

        Não sei se seria necessária a participação do governo no FGC. O próprio BC tem sua linha de empréstimo pra salvar bancos, só que é um juros bem caro.
        O que a gente tem que se preocupar é que a Caixa (que comprou quase 50% do banco, é pública, e, portanto, dos brasileiros) foi enganada pela diretoria do banco do Silvio.
        Indiretamente todos os brasileiros foram afetados…

        • É exatamente isso que eu defendo. Não faz sentido emprestar a juros zero e não ter nada em troca. Ou empresta com juros, ou empresta sem juros em troca de participação acionário (se avaliarem o banco viável) ou simplesmente liquida parte do patrimônio do controlador e paga por essa fraude.

          O que não pode é eu, você e as demais pessoas que têm investimentos garantidos pelo FGC serem prejudicados por conta de uma operação dessas.

          Abração e valeu pela participação!

  • Eric

    Rafael, nada a ver com o tema, mas….

    Descobri seu blog muito recentemente, e fiquei viciado. Entro todo dia.

    Sou investidor iniciante/intermediário, tenho 24 anos e invisto e pesquiso sobre os produtos financeiros e formas de ganhar dinheiro desde os 22 anos. Pelo que ando lendo nos comentários tem muita gente muito mais iniciante que eu e que precisa de alguns conceitos básicos na cabeça pra maturarem como investidores.

    Não sei se você já falou disso, mas sugiro você fazer um post básico comentando sobre os diferentes tipos de ativos na economia capitalista e suas rendas.

    Eu escuto muita gente (digo, não tanta gente assim, rsss) falar que vive de “renda”, quando na verdade queria dizer que vive de “renda do capital”, pois salário também é uma renda, a renda paga ao fator de produção trabalho, que atualmente ainda compõe mais de 90% da minha renda ( agora sim se diz renda, pois renda é a soma de todos os fluxos de fontes de renda distintas).

    Recomendo que você fale dos 5 principais capitais/ativos/fatores de produção e suas rendas, e mostre como as pessoas podem ganhar com cada um.

    Capital Monetário ( Dinheiro) – renda: juros
    Capital Acionário/Físico ( Próprio Negócio / Ações) – renda: lucros e dividendos
    Capital Humano ( Força de Trabalho) – renda: salário
    Capital Imobilizado (Imóveis/ Maquinários pesados para arrendamento) – renda: aluguéis
    Capital Intelectual – renda: direitos autorais, marca, imagem, etc…

    As pessoas tendem a achar que só se faz dinheiro ou ganhando um estoque enorme de grana na loteria ou tendo um salário enorme e se esquecem que há outras formas de obter uma renda maior ou outras fontes de renda.

    Ah, seria bom explicar também a diferença entre valorização nominal de um ativo e renda de um ativo.

    Abração e muito sucesso com seu blog. É muito bom!!!

    • Agradeço demais pelas palavras e pela sugestão. Já está na lista de artigos a serem escritos. Muito oportuna sua dica.

      Abração e valeu pela participação!

  • Rosana

    Oi, Rafael

    Muito oportuno o artigo e as perguntas que colocou no final.

    “Sílvio Santos terá 10 anos para quitar o empréstimo, feito sem juros, apenas com correção monetária. Além disso, ainda terá 3 anos para começar a pagar (carência).”
    Fiquemos sem pagar a conta de luz ou de água por um mês e vejamos o que acontece.
    Em pouco tempo não terá mais nenhum dos 2 serviços na sua casa.

    Será que a garantia dada é real, há documentos sobre isso?

    A pergunta 3 diz tudo.
    A população brasileira precisa acordar pois é isso de um lado, anistias absurdas de outro, bolsas-tudo em todo canto, volta da cpfm…
    Onde é que vamos parar desse jeito?

    Abraços,

    • Obrigado, Rosana. O problema é que os governos ganham demais direta e indiretamente com os bancos, por isso que existe atenção de menos para essas absurdas taxas de juros e atenção demais para instituições em apuros, mesmo quando essa bronca veio por atitudes fraudulentas. Uma pena…

      Abração e valeu pela participação!

  • Fred Junior

    Quero deixar aqui algumas informações ao qual apurei porque acredito estar havendo uma exploração política do caso ou seja alguns grupos de comunicação que se comportam como partidos políticos e ficam fazendo ilações antes das apurações e consequentes punições aos responsáveis.

    Vou tentar responder sua pergunta da seguinte como foi que o BC chegou a essa fabulosa fraude? Resp. Cruzando as informações entre os balanços dos bancos, pois a maior parte do rombo se deve ao fato que durante a crise em 2008, lembram-se?

    Muitos bancos médios e pequenos apavorados venderam sua carteiras de crédito para bancos maiores certamente por estarem operando alavancados demais, e dessa forma calcularam estar com um tremendo abacaxi nas mãos se desfazendo desses ativos por um valor muito abaixo do mercado (preço de banana), ou seja realizaram o prejuízo, aí vem a fraude do Panamericano que lançou nos seus balanços um valor de venda muito maior do que de fato acorreu, ao cruzar essas informações o BC encontrou inconsistência nos valores e foi apurar com maior profundidade chegando a esta, sem falar no fato de que algumas carteiras de crédito foram vendidas e não foram baixadas , sendo assim contabilizadas como ativos recebíveis nos balanços, mas essa última corresponde a um valor menor no somatório do rombo.

    Aqui fica a questão se essas auditorias tem condições de checar essas informações com outros bancos envolvidos no negócio para apurar se os valores são corretos pois dessa forma torna-se difícil a detecção por parte delas esse tipo de fraude. Vale lembrar que outra distorção que ocorre nos meios de comunicação é que o papel do BC na avaliação do negócio funciona da mesma forma como o CADE faz perante fusão ou compra entre empresas de setores não financeiros ou seja verificar se não existirá excesso de concentração de mercado na oferta de produtos financeiros não tendo assim autonômia para balizar qualquer parte quanto as vantagens ou desvantagens do negócio quer os envolvidos sejam privados ou estatais cabendo a eles próprios avaliarem, ou contratarem consultoria especializada para isso.

    Resumindo o Panamericano durante a crise construiu um rombo gigantesco em suas contas e o maquiou até conseguir um “otário” que quisesse compra-lo, agora cabe apuração dos orgãos competentes para saber se esses “otários” são realmente “otários” ou estão se fazendo, ou agiram de forma premeditada para salvar um banco falido, já por parte do Panamericano os responsáveis tem que ir pra cadeia e essa conversa que vejo em blogs e comentários que o “SS” foi um cara correto pois deu seu patrimônio em garantia é balela, pois não fez mais que sua obrigação ou teria tudo confiscado, sem falar no prejuízo financeiro que causou a CAIXA, que comprou um banco fálido, a preço de banco altamente rentável e se o “SS” não tivesse patrimônio para cobrir o rombo a perda seria total.

    Para finalizar vale salientar que a operação de salvamento não envolveu dinheiro público e sim do FGC um fundo privado criado e mantido pelas instituições bancárias criado para este fim, vamos agora aguardar o desenrolar do fatos, pra ver se os culpados sejam descobertos mas sem realizar julgamentos precepitados com cunho político.

    • Olá Fred,

      Gostei tanto do seu comentário que fiz questão de quebrá-lo em parágrafos para facilitar a leitura.

      Suas considerações foram excelentes e concordo com boa parte delas. Realmente da forma como tudo foi feito, prejudica sobremaneira a auditoria. E a responsabilidade maior é do Banco Central, por não ter descoberto isso antes. Ou até ter descoberto e influenciado a Caixa a comprar boa parte de um banco falido, para tentar salvá-lo. Quem sabe?

      Como essa ação não serviu para salvar o banco, veio o FGC (que continuo não concordando que seja totalmente independente do governo, pelos motivos que expus em comentários anteriores) para tentar, mais uma vez, salvar o banco. E como também coloquei nos comentários acima, esse empréstimo não está dentre os objetivos do FGC. Basta acessar o site do FGC e procurar pelos objetivos.

      Enfim, seu comentário enriqueceu ainda mais a discussão desse tema bastante polêmico e com pontos de vista bem diferentes.

      Abração e valeu pela participação!

  • Eliseu Mânica Júnior

    Rafael o blog está muito bom, porém uma correção: o empréstimo concedido é do Fundo Garantidor de Crédito, onde todos os bancos contribuem uma parcela de seus lucros para evitarem situações como essas. Bancos sçao interligados e caso um banco quebre, pode ocorrer um efeito dominó. Portanto, não foi o governo e sim um fundo privado que propiciou o dinheiro para o Panamericano.

    • É verdade, Eliseu. Já reconheci este erro, apesar de achar que esse empréstimo não está entre os objetivos do FGC e também não concordar que esta entidade seja realmente independente do governo federal.

      Abração e valeu pela participação!

  • Thiaguinho

    Caraca, so tem fera aqui!!! Por enquanto fico so aprendendo com vcs 🙂
    Parabens pelos artigos, Seabra!
    Valeu, todo mundo!!!

    • Obrigado, Thiaguinho! Sempre incentivo comentários justamente porque eles enriquecem demais os artigos.

      Abração e valeu pela participação!

  • Pedro

    Resumo disso tudo: Marketing

    • anderson alves

      Marketing e com certeza tem alguém lucrando com essas subidas e descidas da ação, não digo os que apostam e sim aqueles que com informações antecipadas se aproveitam da situação.

  • pobrinho

    claro que os ricos se protegem.

    nao ver 2,5 bi sumirem,e brincadeira.

    e melhor ,que eu cuide do meu feijao com arroz

    pra nao ficar de estomago embrulhado.

  • Luiz Edmundo Borba

    Nãou sou “rico” nem venho de uma família abastada, pelo contrário, meus pais sempre trabalharam duro, mas uma coisa vejo que a maioria não consegue entender: empresas precisam ser defendidas, pois elas geram emprego, tributos para sustentar o Estado e, acima de tudo, movimentam a economia. Ajudar bancosem crise não é uma exclusividade do Brasil, isso também houve nos EUA, e no caso do Sílvio Santos, poucos faríam o que ele fez, abriu mão de sua fortuna para cobrir os gastos, inclusive podendo vender o que ele tem de mais caro, no sentido de desejado, o SBT…
    Acho que é motivo de tristeza perceber que um cara como Sílvio Santos foi afetado pela crise, pois é, mesmo ele sendo estrangeiro, uma empresa nacional que passa a mão de empresas estrangeiras …

  • Roberta Alcântara

    Nossa… tudo muito bom mesmo. Comecei a estudar economia a pouco tempo, no curso de Ciências Contábeis. Achei tudo muito interessando, e por muitas vezes vim aqui buscar ajudas.
    Parabéns pelo Blog.

  • Madalena Maria

    Minha gente o Brasil é o país do arrumadinho, sem tem algum orgão do governo envolvido nessas transações entre Banco Panamericano, Caixa e Silvio Santos pode ter certeza que isso é briga de tubarão. Não da para dizer que nem omitir dizendo que a caixa não sabia disso… Isso está evidente foi apenas jogada para injetar dinheiro no banco Pan, e com isso atrair mais investidores.

    Pode ter certeza, a caixa é um dos piores orgãos públicos que já conheci na minha vida e se ela comprou ações do banco panamericano, é porque com certeza já tinha uma negociação bilionária por trás disso.

  • Araujo

    Vou comentar o artigo fazendo perguntas. Será que se eu omitir alguns ganhos neste ano, no ano que vem consigo um empréstimo?

    Será que o empréstimo pode ser sem juros?
    Será que consigo carência?

  • Jose Carlos Brito

    meu ainda nao entendo muito bem isso tudo, mas eu tambem quero ficar rico ..rsrs
    Sera que nao seria uma ideia crir tipo im site “salvem nosso querido silvio” … Pessoas muitos simples como as que colocaram o Silvio onde ele esta, estas teriam muito pouco recursos porem a quantidade de fãs que este homem tem …O que aconteceria estas entrariam no site, e o site com os minimos recursos multiplicados por milhoes seria um acionosta do comprando milhares de açoes , seria meio que seus fãs se tornarem socios com o site como representante…sei la parece doidera mas ja vi cada coisa nesta vida…rsrs
    Ha mais uma coisa , ele podia me colocar como um dos diretores do banco, pelo menos sou honesto..( foi só um trocadilho)

  • Rafaela Lins

    Bem, como estudante de economia, vejo que isso tudo se trata de troca de favores, afinal o Panamericano gera receita pro governo e emprego para a população . São interresses mútuos. Gostei muito do blog e pretendo visitá-lo todos os dias.

    • Obrigado, Rafaela. Seja muito bem-vinda!

      Abração!

  • Eder

    Como o FGC vai emprestar com juros se é uma associação civil privada, sem fins lucrativos ???

    Objetivos
    O FGC tem por objetivos prestar garantia de créditos contra instituições dele associadas, nas hipóteses de:

    decretação da intervenção, liquidação extrajudicial ou falência da associada;
    reconhecimento, pelo Banco Central do Brasil, do estado de insolvência da associada.

    Acho louvável a atuação do FGC. É bom saber que contamos com uma instituição dessa no nosso país.

    Sobre o fato de novos diretores que vieram da CAIXA. É óbvio que como um dos maiores acionistas depois de descobrir esse rombo eles exigissem fazer parte da reestruturação do banco.

    É isso… Parabéns Rafael… ótimos posts… Sempre que posso acompanho o seu blog…

    Abraços

    • Eder, emprestar com juros e ser uma instituição sem fins lucrativos não tem nada a ver. Uma instituição sem fins lucrativos pode apresentar resultado positivo no final do ano. O que não pode é esse resultado ser distribuído. Tem que ser totalmente reinvestido.

      Os objetivos do FGC são extraordinários. Acho que não há discussão quanto a isso. O problema é que o Panamericano não se encaixa em nenhum desses objetivos (pelo menos até agora nada foi decretado oficialmente). Ainda não vi nenhum posicionamento oficial sobre esses tópicos. Essa é a grande crítica.

      O banco tem que sofrer intervenção e, na minha opinião, se for realmente “recuperável”, deveria haver mudança societária. E não um empréstimo a custo zero em troco de nada.

      A minha maior crítica é que o FGC não está ajudando uma instituição financeira que está passando por apuros por conta de uma crise ou má-administração. É por conta de uma fraude gravíssima!

      A analogia que fiz com uma pessoa física é claramente provocativa, apenas para tentar mostrar o fato de que a ajuda é quanto a uma fraude, um ilícito, e não quanto a má-administração, que aí sim, na minha opinião, mereceria esse tipo de atitude.

      Abração e valeu pela participação!

  • Eder

    Mais um comentário… Acho muito triste ver a imprensa tentando associar o Lula e o Silvio Santos com esse episódio. Acho q nem um nem outro teve alguma participação nessa fraude. Acho improvável depois de td que construiu, o Silvio Santos por todo o seu patrimônio em risco. E tb acho improvável o Lula incentivando a CAIXA a comprar um ativo com um rombo de 2,5 bi.

    Abraços

    • Não é questão de simplesmente associar o Sílvio Santos a esse episódio e o Lula à compra desse ativo através da Caixa. É óbvio que você não consegue saber de tudo sempre. Mas é para isso que existem assessorias e diretorias (ministérios, no caso do governo).

      Por conta disso, fica claro que o Sílvio Santos tem que ser responsabilizado pelo rombo do Panamericano, pois ele era o único acionista (na verdade, o grupo SS).

      E também fica claro que o Lula tem que ser responsabilizado pela péssima compra feita pela Caixa, pois ele é o chefe do executivo, responsável por todos os órgãos e entidades da administração direta e indireta (onde está a Caixa, como empresa pública).

      Eles terem conhecimento ou não sobre o assunto é outra coisa. O que não é justo é julgar toda uma vida (no caso de Sílvio) ou toda uma administração (no caso de Lula) por um fato isolado. Mas é indiscutível que eles devem ser responsabilizados. E obviamente tomem as devidas atitudes para afastar que cometeu diretamente os erros em questão.

      Abração e valeu pela participação!

      • Eder

        Galera nao vamos viajar na maionese… Houve um crime? O MP e PF estão investigando. Se houver os culpados terão que ser punidos com certeza. Agora o SS e Lula como vão ser punidos??? Isso que eu keria entender. Se for assim o raciocinio… Se vc tem uma empresa e o diretor da empresa comete um assassinato e vc como dono da empresa tem q ir preso???? Não vamos misturar as coisas pelo amor de Deus… pelo que parece foi um crime, uma fraude dos diretores do banco… o SS como maior acionista não tem nada a ver com isso… Minha opnião… Ele foi enganado, ele é a vítima nesse caso…
        Daki a pouco saí na Folha falando q foi td culpa da Dilma uhauhauhahuuhauhauha

        Abraços

  • Rosana

    “Mas é indiscutível que eles devem ser responsabilizados.”
    Espero que isso não acabe em “pizza” como tantas vezes aconteceu….

  • Luiz Andrade

    Pois é. Agora com a venda do Banco o empréstimo do FGC saltou de 2,5 para 4 bilhões, e poderá ser liquidado com 450 milhões. Vc poderia explicar essa?

  • Desenhado fica MUITO claro! Parabéns pelo artigo, Rafa.

  • anderson alves

    Bom, no início eu pensava que usar os recursos do FGC para emprestar para Banco era correto, pois imaginava que esse fundo era para esse tipo de situação, pois é, eu e a maioria das pessoas estávamos enganados, o FGC é um fundo com dinheiro depositado de nossas contas, ou seja, o dinheiro é nosso e deve ser usado sim em caso de falência dos bancos para garantir parte dos depositos de seus correntistas e não ser emprestado para qualquer banco que seja. Fomos roubados e o dinheiro que é nosso e deveria ser usado para cobrir possíveis danos a clientes dos bancos e foi emprestado a custo zero para um banco privado. E alguém tem dúvida que tudo isso não foi premeditado, até a compra do panamericano pelo PACTUAL e a caixa que é do povo e comprou 49% do banco, dizendo não saber, vai abrir uma linha de crédito de 8 bilhões isso mesmo 8bi para o banco que comprou. QUE PAÍS É ESSE? O pior que isso acontece na cara daqueles que tem poder para investigar e não fazem nada, esse caso merece uma CPI.

  • Cleverson Azarias

    Ola a todos ….
    O caso do Panamericano será um case para ser lembrado e discutido por um longo tempo, cada um com o ponto de vista, uma opinião formada, mas vamos tentar olhar pelo lado do FGC, se caso o panamericano fosse liquidado pelo banco central, o FGC iria ter que reembolsar um alto valor, se colocar bem na ponta do lápis, pode ultrapassar o que foi emprestado ao banco, para pagar os acionistas do grupo. Vamos lembrar que o FGC foi feito para dar esta garantia e segurança ao investidor, caso isso acontecesse, o FGC iria desembolsar todo este valor, só que com um detalhe, sem retorno, como se fosse o pagamento de um “seguro-investimento” a todos acionista, como ele já teria que desembolsar este valor, o que custa desembolsar como um empréstimo e não como um pagamento ?
    O FGC apenas garantiu sua grana daque a aproximadamente 10 anos.

    Um abraço a todos

  • Deborah

    Olá Rafael, estou fazendo um trabalho sobre Mercado de Capitais na minha faculdade e Administração. E este seu artigo me explicou muito para eu cita-lo como exemplo em meu trabalho, e até mesmo na questão pessoal, pois nao entendia muito bem o que estava acontecendo com o Banco Panamericano e o que a Caixa tinha feito por ele.
    Parabens pelo seu artigo.
    Deborah

    • Obrigado, Deborah!

      Boa sorte com o trabalho.

      Abraço!

  • Adefilgueiras

    A respetio da última pergunta: O Governo não daria esse privilégio para uma pessoa só. Porém, em se tratando de uma instituição com o tamanho e a importância (leia-se quantidade de clientes, princialmente), do Pan, é mais viável para ele (o governo) intermediar essa transação já que todo o capital envolvido é privado. Já se o Banco “quebrasse” REPENTINAMENTE, aí sim o governo teria muita dor de cabeça com o nervosismo do mercado por conta principalmente dos mais de 2 milhões de clientes temerosos por seus investimentos. Isso geraria um efeito dominó de proporções consideráveis.