5 Dicas Poderosas Para Acumular Patrimônio

Acumular PatrimônioSe você quer alcançar sua independência financeira, precisará construir e acumular patrimônio.

E colocar isso em prática pode ser muito mais simples do que você imagina.

No entanto, muito do que se fala por aí está totalmente errado e provavelmente só afastará você deste grande objetivo.

Na semana passada, decidi rever um excelente vídeo do Bastter (link) sobre sua filosofia patrimonial e quero compartilhar neste artigo os pontos mais interessantes.

Se você tem interesse em acumular patrimônio para viver de renda, confira a partir de agora 5 dicas poderosas para conquistar este objetivo.

Dica #1: Trabalhar e poupar

A maioria das pessoas pensa que o “grande segredo” para alcançar a independência financeira é aprender a investir e encontrar as melhores oportunidades no mercado de imóveis ou ações.

Estas pessoas não poderiam estar mais enganadas.

Pouquíssimas pessoas enriqueceram apenas através de investimentos. Os verdadeiros ricos construíram suas riquezas através de muito trabalho, disciplina e poupança.

Você terá muito mais sucesso em acumular patrimônio se focar no seu trabalho para ganhar mais e tiver disciplina para poupar mensalmente o máximo que você puder (sem comprometer sua qualidade de vida).

Vamos comparar duas situações, que atribuirei a José e Maria.

José, um exímio investidor, conseguiu montar uma carteira de investimento que rende consistentemente 15% ao ano.

Ele passa a maior parte do tempo estudando sobre investimentos e poupa mensalmente R$ 500.

Já Maria, um disciplinada trabalhadora, tem uma carteira mais conservadora que rende aproximadamente 12% ao ano.

Ela passa a maior parte do tempo se desenvolvendo profissionalmente e consegue poupar R$ 1000 por mês.

Mesmo que José tenha uma carteira mais rentável, Maria consegue acumular mais patrimônio porque poupa muito mais todos os meses.

E por investir mais tempo no seu trabalho, certamente conseguirá promoções e poderá investir ainda mais no futuro.

Por mais importante que seja aprender a investir, seu principal foco deve sempre estar em desenvolver-se como profissional para fazer mais dinheiro.

Dica #2: Investir focado no longo prazo

Investir no longo prazo praticamente só traz vantagens para você.

Você gastará menos tempo analisando ativos, pagará muito menos taxas e impostos e terá o poder dos juros compostos ao seu favor.

No entanto, você precisará aprender a escolher bons ativos para investir seu dinheiro.

De nada adianta fazer um investimento e “esquecer seu dinheiro por lá” se você não tiver escolhido uma boa aplicação financeira.

Os grandes investidores – tendo Warren Buffett como principal representante – sempre exaltaram o efeito dos juros compostos no longo prazo.

Quanto mais tempo seu dinheiro permanece investido, mais juros você recebe. Quando reinvestidos, estes juros rendem juros sobre juros.

Dica #3: Eliminar dívidas

Uma coisa é certa: por melhor investidor que você seja, dificilmente a rentabilidade dos seus investimentos vai superar as taxas de juros das suas dívidas.

Dito isso, de nada adianta fazer os melhores cursos e encontrar os melhores investimentos se você simplesmente não consegue se livrar das dívidas.

Principalmente quando falamos em dívidas de cartões de crédito e cheque especial, que muitas vezes superam os 10% ao mês.

Apenas para efeito de comparação, o investimento em títulos públicos rende em torno de 1% ao mês.

E este é um dos melhores investimentos em renda fixa que temos disponível no mercado.

A única dívida minimamente aceitável é um financiamento imobiliário, pois envolve um grande sonho da maioria das pessoas (compra da casa própria) e tem baixa taxa de juros.

Em resumo, você precisa eliminar suas dívidas se quiser acumular patrimônio para poder viver de renda no futuro.

Dica #4: Não vender bons ativos

Se o intuito é justamente acumular patrimônio, não faz qualquer sentido vender bons ativos que você já adquiriu.

Mesmo que o objetivo da venda seja comprar novos ativos ou aproveitar novas oportunidades de mercado, você precisa estar atento às taxas e impostos envolvidos em cada operação.

No caso de aplicações financeiras, sempre que você precisa vender seus ativos, você terá que pagar imposto de renda, taxas de corretagem (no caso de ativos de renda variável) e ainda vai “zerar” o prazo de contagem do IR.

Em outras palavras, o novo investimento reiniciará a contagem do prazo do IR e você terá que passar pelo menos mais dois anos com este ativo para não sofrer a incidência de uma alíquota maior do imposto.

No caso de imóveis, os custos envolvidos são ainda maiores, sobretudo com taxas e impostos para transferência do bem (ITBI, registro e escritura).

Além disso, há o pagamento do imposto de renda sobre ganho de capital (caso você não compre um novo imóvel em até 180 dias após a venda).

Por mais que a maioria das corretoras sempre tenha uma lista semanal das melhores ações e que “milagrosamente” esta lista se altera a cada semana, você não pode comprar e vender ativos semanalmente.

Isso só vai beneficiar sua corretora, e não você.

Recomendo inclusive que você assista a este ótimo vídeo sobre o maior problema das corretoras (clique aqui para assistir).

Dica #5: Produzir renda passiva

Se você já leu o excelente livro Pai Rico Pai Pobre, deve saber quão importante é colocar o dinheiro para trabalhar para você (e não o contrário).

Em outras palavras, você precisa investir seu dinheiro em ativos que produzam renda passiva.

Como exemplo, ao investir num imóvel para alugar, o valor recebido como aluguel é renda passiva.

Ao investir em títulos públicos que pagam cupons semestrais, estes juros são renda passiva.

Até no investimento em ações, o valor recebido como dividendos também é renda passiva.

Estes três exemplos mostram como você pode colocar o dinheiro para trabalhar para você.

Uma outra forma é investir como foco no ganho de capital (diferença entre o preço de compra e venda do ativo).

Porém, esta modalidade é bastante custosa, pois você terá que pagar todos os custos relativos à venda e à nova compra (como expliquei na dica anterior).

Conclusão

Ao seguir estas simples (mas poderosas) dicas, você caminhará para construir riqueza duradoura em sua vida financeira.

Ao colocar o dinheiro para trabalhar para você, você vai depender cada vez menos da sua fonte de renda principal, podendo até no futuro passar a viver exclusivamente de renda.

Para tanto, você vai precisar focar no seu trabalho, ter disciplina para poupar o máximo que puder mensalmente, quitar suas dívidas e investir como foco em obter renda passiva.

Caso você queira saber mais sobre como investir em renda fixa e em renda variável, recomendo estas aulas sobre Tesouro Direto (clique aqui) e Bolsa de Valores (clique aqui).

Por fim, o mais importante é entender que a maioria dos ricos não enriqueceu exclusivamente com investimentos, mas com a renda do seu trabalho.

E esta renda, ao ser aplicada consistentemente em bons investimentos, permitiu que estas pessoas pudessem viver de renda no futuro.

Investir seu dinheiro permite que você multiplique seu patrimônio, mas isso só vai funcionar se seu patrimônio continuar crescendo com novos aportes.

Até a próxima!

Assine (é grátis)

Cadastre seu email e receba gratuitamente as atualizações do Quero Ficar Rico!


Conquistou a independência financeira e quer ajudar outras pessoas a alcançarem o mesmo objetivo. Continue lendo aqui!

[Grátis]
[Grátis]