Como Conquistar o Primeiro Milhão Antes dos 30 Anos

Como Conquistar o Primeiro Milhão Antes dos 30 AnosConquistar o primeiro milhão antes do 30 anos.

Este talvez seja o sonho de 9 em cada 10 jovens. E acho que estou sendo conservador na estimativa.

O problema é que a maioria pensa que é impossível ou só com um “paitrocínio”, herança ou sorte.

Não há dúvida que um ótimo montante inicial (seja por herança ou ajuda dos pais) facilitaria bastante o alcance deste grande objetivo, mas é possível, sim, atingi-lo por conta própria.

Está preparado(a) para descobrir a “fórmula mágica” do primeiro milhão?

Depois da grande repercussão da matéria do Estadão que contou com minha participação, decidi escrever este artigo mais completo, então leia até o final.

“Fórmula mágica” do primeiro milhão

A “fórmula mágica” depende de apenas três fatores: quantidade de dinheiro para investir, rentabilidade do investimento e tempo.

Quanto mais dinheiro você puder investir em aplicações financeiras realmente rentáveis e começando o quanto antes, melhor.

O grande problema é que a maioria dos jovens quer alcançar este objetivo como num passe de mágica, sem passar por todo o esforço, disciplina e dedicação necessários durante o processo.

Em vez de acumular o máximo possível enquanto possuem um baixo custo de vida (muitas vezes até por morar com os pais), preferem investir pesado na compra de um carro, em roupas de marca, baladas, entre outros.

E o grande segredo é adotar bons hábitos financeiros,abolir o consumismo da sua vida, viver abaixo de suas possibilidades e investir a diferença.

Vamos falar sobre cada um desses passos a partir de agora.

Adotar bons hábitos financeiros

Você vai precisar definir objetivos financeiros, elaborar um orçamento pessoal, controlar seus gastos e suas dívidas, criar uma reserva de emergência, entre outras coisas.

Inclusive expliquei cada um destes pontos no artigo “7 Simples Passos Para Mudar Sua Vida Financeira”.

Não existe atalhos.

Só é possível conquistar objetivos maiores se você estiver com sua vida financeira sob controle, totalmente organizada.

Abolir o consumismo da sua vida

O consumismo nos condena a um estilo de vida na “prisão”. E quanto mais você comprar coisas que não cabem no seu bolso, maior será sua “sentença”.

O consumismo está atrelado à gratificação instantânea e ao prazer imediato. E isso vale tanto para sua saúde financeira quanto para sua saúde física.

O que você acha de comer chocolate (ou qualquer sobremesa com bastante açúcar) a qualquer momento? Ou comer aquele combo da sua lanchonete preferida com sanduíche, batatas fritas e refrigerante?

Infelizmente, este prazer imediato (curto prazo) geralmente é um péssimo negócio para sua saúde (no longo prazo).

Com isso, essa busca incessante por gratificação instantânea tem um destino comum: endividamento e obesidade.

A riqueza, assim como a saúde, não é fácil de ser obtida e ambos os caminhos possuem processos muito parecidos.

Tanto a riqueza quanto a saúde exigem disciplina, sacrifício, persistência, comprometimento e, obviamente, gratificação postergada.

Se você não tem autocontrole em relação às tentações da gratificação instantânea, dificilmente terá sucesso em enriquecer.

É necessário mudar seu estilo de vida, deixando de pensar no curto prazo (gratificação instantânea) e focando no longo prazo (gratificação postergada).

Coloque isso em prática e observe resultados mais rápidos do que você imagina.

Viver abaixo de suas possibilidades

A palavra-chave aqui é frugalidade.

Frugalidade é o comportamento caracterizado pelo uso moderado dos recursos financeiros. O oposto de frugalidade é desperdício, onde pessoas possuem um estilo de vida marcado por gastos extravagantes.

No entanto, é muito frequente ver os grandes gastadores serem promovidos e destacados pela mídia, como se o comportamento correto em relação ao dinheiro fosse gastar tudo que ganhamos.

Ser frugal de verdade nada tem a ver com o “pão-duro” que pintam por aí. Muito menos com o Tio Patinhas, que tem um cofre imenso dentro de casa, cheio de dinheiro, mas não aproveita nada da vida.

Pelo contrário.

Trata-se de uma pessoa bastante inteligente, que tem uma ótima reserva financeira.

Essa reserva permite que ele compre algo quando realmente precisa. Que faça uma viagem quando tiver vontade. Que aproveite uma oportunidade quando ela aparece.

Resumindo: é uma pessoa livre, sem dívidas.

Pessoas que vivem abaixo de suas possibilidades se tornam ricas porque são financeiramente organizadas e mantém o padrão de vida no mesmo nível, mesmo quando passam a ganhar mais.

O caminho é justamente definir um padrão de vida aceitável e aproveitar qualquer aumento de renda para poupar mais dinheiro, em vez de aumentar as despesas.

Investir a diferença

Muitas pessoas pensam que o segredo do sucesso do primeiro milhão está nos investimentos escolhidos, mas estão completamente enganadas.

O caminho está nos três passos anteriores.

Quando executados com perfeição, bastará apenas investir a diferença em aplicações financeiras com boa rentabilidade e baixo risco, e deixar que o tempo e a rentabilidade desses investimentos trabalhem para você.

Você não pode controlar o tempo nem aumentar a rentabilidade dos seus investimentos sem correr riscos, então a única variável que está sob seu controle é o valor investido mensalmente.

O Tesouro Direto é uma excelente opção de investimento e você pode saber mais assistindo a uma aula exclusiva neste link aqui.

Existe um caminho rápido e fácil?

Então surge uma pergunta muito comum:

É possível ficar milionário em pouco tempo e começando com pouco dinheiro?

Vamos novamente analisar a fórmula.

Como havia dito, ela depende de apenas três fatores e não há mágica nisso: tempo, dinheiro para investir mensalmente e rentabilidade dos investimentos.

Se o dinheiro é pouco e o tempo é curto, a rentabilidade do investimento precisaria ser muito acima da média, e isso não é garantido nem há como prever.

Apenas como exemplo, se uma pessoa tem 18 anos e quer acumular R$ 1 milhão até os 30, precisaria investir mensalmente R$ 1.100 a uma rentabilidade de 2% ao mês.

Além dessa rentabilidade ser bastante difícil, R$ 1.100 por mês não é pouco dinheiro, não descontei a inflação nem o imposto de renda.

Lembre-se: não podemos controlar o tempo e temos pouco controle sobre a rentabilidade dos investimentos, então a única variável onde temos total controle é o montante a ser investido.

E esse montante é a diferença entre quanto você ganha e quanto você gasta.

Então, você precisa encontrar formas de ganhar o máximo que puder e gastar o mínimo que puder, maximizando assim a quantidade de dinheiro que poderá investir.

O mais importante, no final das contas, é entender essa dinâmica, mudar seus hábitos financeiros e capacitar-se para aumentar sua renda em vez de procurar um “investimento mágico” para multiplicar seu dinheiro, pois isso simplesmente não existe.

O que fazer agora…

O que você achou deste artigo? Concordou 100%? Discordou totalmente? Ficou com alguma dúvida?

Então deixe um comentário e compartilhe conosco sua opinião.

Até a próxima!

Assine (é grátis)

Cadastre seu email e receba gratuitamente as atualizações do Quero Ficar Rico!


Conquistou a independência financeira e quer ajudar outras pessoas a alcançarem o mesmo objetivo. Continue lendo aqui!

[Grátis]
[Grátis]