Dicas para comprar carro usado

100 Flares Facebook 70 Twitter 21 Google+ 8 100 Flares ×

Dicas para comprar carro usadoQuem acompanha o Quero Ficar Rico há algum tempo conhece minhas críticas à compra de um carro zero. E elas ocorrem não apenas pela desvalorização do bem (afinal carro usado também desvaloriza), mas principalmente por fomentar uma indústria que cobra preços absurdos no mercado brasileiro.

Discuti bastante e cheguei à conclusão que nós somos os culpados por termos o carro mais caro do mundo. Meu ponto de vista foi apresentado no artigo ‘Por que o Brasil tem o carro mais caro do mundo?‘.

Uma conclusão que tirei é que não devemos deixar de comprar automóvel, mas podemos comprar um bom carro semi-novo. E o objetivo deste artigo é apresentar várias dicas para comprar carro usado. Vamos a elas!

1) Documentos que devem ser exigidos na hora da compra

  • Comprovante atual do pagamento do IPVA, além das cópias dos comprovantes dos dois anos anteriores;
  • Comprovante atual de pagamento do Seguro Obrigatório;
  • Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos;
  • Certificado de Transferência (recibo) datado, preenchido e com firma reconhecida;
  • Quarta via de importação, no caso de veículos estrangeiros.

2) Documentos necessários para realizar a transferência de propriedade

  • Comprovantes do pagamento do IPVA atual (e de dois anos anteriores), do seguro obrigatório e de multas pendentes;
  • Certificado de Registro e Licenciamento do veículo;
  • Certificado de Transferência (recibo) datado, preenchido e com firma reconhecida;
  • Cópias da Carteira de Identidade e do CPF;
  • Comprovante de residência (conta ou extrato bancário, confirmando endereço);
  • Decalque do número do chassi do veículo.

Quando o veículo tiver placa de outra cidade ou estado, você deve exigir os seguintes documentos para transferência de propriedade:

  • Prontuário ou histórico do carro;
  • Certidão Negativa de Multa (do município de origem do veículo);
  • Certidão Negativa de Furto/Roubo (caso de veículo com origem em outro Estado);
  • Comprovantes do pagamento do IPVA;
  • Licenciamento do veículo com seguro obrigatório;
  • Certificado de Transferência (recibo) datado, preenchido e com firma reconhecida;
  • Vistoria obrigatória nos postos do Detran e decalque do chassi.

3) Não responda por infrações de trânsito cometidas pelo proprietário anterior

De acordo com a legislação atual, o documento de transferência do veículo só pode ser assinado em cartório, pelo atual dono e pelo comprador, no ato do reconhecimento da assinatura. Esse recibo deverá ser autenticado e posteriormente entregue ao Departamento de Trânsito. O novo proprietário tem 30 dias para fazer essa transferência.

Tire duas cópias autenticadas do recibo de transferência e fique com uma delas para recorrer de eventuais infrações cometidas pelo proprietário anterior antes da data da venda. O mesmo é válido para quem está vendendo o veículo, para não responder por atos e infrações do novo dono.

Envie a outra cópia para o Detran. Com o atual sistema de pontuação do novo Código de Trânsito, é importante comunicar logo a transação e a mudança de proprietário. Com isso, quem está comprando (ou vendendo) o carro se isenta de multas, do acúmulo de pontos na carteira e da responsabilidade em eventuais acidentes a partir da data da venda.

4) Direitos do consumidor caso o carro apresente problemas após a compra

O Código de Defesa do Consumidor assegura que, nas compras efetuadas em estabelecimentos comerciais (agências ou concessionárias), se o veículo apresentar problemas de fácil constatação, você terá um prazo de 90 dias para reclamar.

Se eles não forem resolvidos em 30 dias, você poderá exigir, à sua escolha: a troca do veículo por outro da mesma espécie, o cancelamento da compra ou o abatimento proporcional do preço.

Se os problemas não forem aparentes e de fácil constatação (ocultos), a reclamação poderá ser formalizada quando esses surgirem, obedecendo ao prazo legal de 90 dias

A compra de um veículo diretamente de uma pessoa física (particular) não tem amparo no Código de Defesa do Consumidor. Portanto, verifique bem o carro antes de adquiri-lo e negocie diretamente com o proprietário, evitando intermediários

Além da garantia legal prevista pelo Código do Consumidor, a loja ou concessionária poderá conceder uma garantia contratual, que não é obrigatória. Mas ela deve ser fornecida por escrito, incluindo as regras e as condições de cobertura.

5) Quais itens avaliar em um test-drive

Antes de comprar um veículo usado, é importante certificar-se de que o carro está em bom estado. Para isso, uma avaliação visual e um test-drive são fundamentais.

Na hora de realizar a compra, entretanto, o ideal é consultar um mecânico de confiança, que poderá fazer uma inspeção mais detalhada e profissional.

Para saber quais itens merece sua atenção, recomendo a leitura desta matéria (que foi a principal fonte deste artigo): Compra de usados: saiba quais itens avaliar em um test-drive.

Conclusão

Defendo a compra de um carro usado (ou semi-novo, como também são conhecidos) por vários motivos: (1) pressionar as montadoras para oferecerem carros zero por preços menores; (2) menor preço; (3) menor desvalorização (já vem com um ótimo desconto); (4) se a compra for em concessionária, há o amparo do Código de Defesa do Consumidor e (5) possibilidade de comprar carro de categoria superior pelo mesmo preço de um zero mais simples (ou até mais barato!).

Seguindo as dicas deste artigo, é possível diminuir bastante o risco de “pegar uma bomba” e ainda fazer um grande negócio. Pelo seu bolso (menor preço), pelo meio ambiente (não vai colocar mais um carro na rua) e para os demais consumidores (pressionar as montadoras a baixar o preço dos carros 0km).

Para mais dicas sobre a compra de carros usados, leia esta matéria do UOL Economia.

Assine (é grátis)

Cadastre seu email e receba gratuitamente as atualizações do Quero Ficar Rico!


Atingiu a liberdade financeira e quer ajudar outras pessoas a alcançarem o mesmo objetivo. Continue lendo aqui!

  • Fábio

    Bom dia Rafael! E você indicaria comprar um usado de até quantos anos? Por exemplo, estamos em 2012, o ideal seria um 2010? Também não sou adepto de comprar carros novos, pois são caros e valorizam muito (além do mais, carro para mim é mais para se trabalhar mesmo, ou seja, ganhar dinheiro com ele). Só indico que sejam comprados (os carros usados) em uma concessionária (está errado este meu ponto de vista?). Um abraço, Fábio – Niterói – RJ

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Fábio,

      O ideal é que seja até dois anos. Aquele carro praticamente zero, com menos de 20 mil km rodados. Mas, como disse, esse é o ideal, pois nem todos podem fazer isso.

      Eu prefiro comprar em concessionárias, por conta da garantia de 3 meses concedida por lei. Durante esse período, é possível identificar diversos tipos de problemas e aproveitar a garantia para fazer os serviços necessários, sem gastar nada.

      Outra opção é comprar carros com procedência (familiares e amigos), onde você acompanhou a utilização do automóvel e confia na palavra de quem vai vender.

      Abraço!

      • Fábio

        Rafael,
        E qual seria a média ideal de anos para se ficar com este veículo, que já foi comprado com 2 anos de uso?
        Obrigado, Fábio

        • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

          Depende do quanto você é cuidadoso com seus automóveis. Mas os carros não costumam dar problemas até os 50 mil km, quando fazemos as manutenções programadas.

          Abraço!

  • Gabriela Bezerra

    No CE tem o DUT eletrônico nos cartórios, que informa ao DETRAN a transferência do veículo. Fazendo isso, basta o comprador comparecer ao DETRAN com o documento gerado no cartório e solicitar o novo documento em seu nome.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Melhor ainda. Facilita bastante e ainda é mais seguro.

      Abraço!

  • Joao

    acredito que o autor nunca comprou um carro…

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Já comprei alguns. Um 0km (aprendi errando) e os demais usados.

      Abraço!

      • Lgstsurf

        Concordo, aprendi assim tambem, ja tive 2 carros 0km, e hoje em dia percebi que vale muito mais a pena um semi-novo

  • Magoo

    Uma vez um engenheiro me disse que era uma boa idéia comprar em feiras de semi-novos de locadoras de carro, pois geralmente eles renovam a frota com certa frequencia e além disso, geralmente deixam a manutenção em dia. E do ponto de vista mecânico, colocam o carro à venda quando a capacidade de dar problemas se estabiliza.
    Achei interessante. Alguém corrobora ?

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      O problema de carros de locadora é que quem utiliza geralmente não tem muito cuidado com o carro. Não existe um apego ou zelo por quem aluga, na maioria das vezes.

      Algumas pessoas já me fizeram essa mesma recomendação, mas confesso que tenho receio desses carros.

      No entanto, se você constatar que o carro está em boas condições e a locadora oferecer 3 meses de garantia, leve um bom mecânico e faça uma revisão geral logo após a compra, antes de passar esses 90 dias.

      Abraço!

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      O problema de carros de locadora é que quem utiliza geralmente não tem muito cuidado com o carro. Não existe um apego ou zelo por quem aluga, na maioria das vezes.

      Algumas pessoas já me fizeram essa mesma recomendação, mas confesso que tenho receio desses carros.

      No entanto, se você constatar que o carro está em boas condições e a locadora oferecer 3 meses de garantia, leve um bom mecânico e faça uma revisão geral logo após a compra, antes de passar esses 90 dias.

      Abraço!

  • Eduardo

    Olá Rafael, parabéns pelo artigo. Comprei um carro 0km na faixa de 40k ano passado e só depois percebi que não foi uma boa escolha. Tenho pensado bastante em vender enquanto o prejuízo ainda não é tão grande e comprar um usado mais simples na faixa dos 29k. Você acha que vale a pena realizar o prejuízo e pelo menos recuperar uma parte do dinheiro, visto que após a compra do usado me sobraria uns 9k na mão para investir em alguma aplicação, ou devo ficar com o carro que comprei para não perder dinheiro? Valeu pela ajuda! Abraço, Eduardo.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Fique com o seu, Eduardo. Até porque, a partir de agora, seu carro também é “usado”. Você apenas trocaria um pelo outro.

      E na próxima troca (daqui há alguns anos, pois seu carro é novíssimo), considere a possibilidade de trocá-lo por um semi-novo, pagando a diferença.

      Abraço!

      • Eduardo

        Obrigado pela dica Rafael! Pelo menos paguei a vista, se estivesse pagando juros de financiamento seria muito pior…rsrs..
        Neste consumismo que vivemos é fácil ser levado por impulsos, mas acredito que as vezes temos que errar para aprender a lição e não repetir a burrada no futuro..
        Como sou ainda jovem, tenho tempo para errar…rsrs
        Valeu! Abraço, Eduardo

        • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

          Ah, sem dúvidas. Mas isso não necessariamente é um erro. Do ponto de vista financeiro, não é a melhor opção.

          Mas nem sempre só devemos levar em consideração o lado financeiro. Caso contrário deixaríamos de fazer viagens ou comprar coisas supérfluas que nos dão prazer.

          O importante é ter planejamento e equilíbrio para comprar quando tiver condições.

          Abraço!

  • Ricardo Fernandes

    Rafael, concordo em parte sobre a responsabilidade do grande aumento de veículos, principalmente nas grandes capitais, porém devo lembrar de um detalhe que não foi abordado no artigo, a Taxa de Juros. Grande parte das pessoas compram o carro e parcelam boa parte do bem e como a taxa de juros de um carro usado chega a ser até duas vezes maior que a de um carro 0 km o consumidor acaba por optar por um carro novo, que além disso tem um menor custo de manutenção nos primeiros anos.
    Por exemplo: Se ao comprar um carro usado de R$20.000,00 o consumidor dispor de uma entrada de R$10.000,00 e financiar o saldo em 36 meses a uma taxa de juros de 2,5% ao mês (CET), ele terá uma parcela de R$425,00. Se optar por um veículo similar, porém novo, no valor de R$23.000,00 a uma taxa de 1,5% ao mês, levando em consideração a mesma entrada e o mesmo número de parcelas, ele terá uma prestação mensal de R$469,00. Conclusão, incluo como grandes responsáveis o governo pela politica monetária e os bancos pelo altíssmo spread.

    Abraços,
    Ricardo Fernandes.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Muitos relatam esse caso, mas esquecem da tal “taxa de abertura de crédito (TAC)”. A TAC nada mais é que o embutimento dos juros trazidos a valor presente.

      Em outras palavras, a financeira tira parte dos juros das prestações, calculam esse valor como se fosse pago à vista, e chamam isso de TAC (ou TC, ou TEC…).

      No final das contas, um carro com taxa de juros de 0,99% a.m., tem na verdade uma taxa de 1,45% a.m., por exemplo.

      Isso é ilegal, mas as financeiras continuam cobrando, pois a minoria coloca na justiça. E quem coloca, recebe o valor volta e em dobro.

      Para saber mais sobre isso, leia o artigo Carro com juro zero é propaganda enganosa.

      Abraço!

      • Ricardo Fernandes

        Realmente essa é uma prática comum no mercado, porém a TAC é cobrada tanto para carros novos quanto para usados…
        Uma forma de termos uma base exata para comparação é procurar saber o Custo Efetivo Total (CET), que leva em consideração todos os custos adicionais somado a taxa de juros e essa é uma informação que a fiananceira não pode nos negar a fornecer…
        Eu particularmente acredito que no caso da compra de um carro novo ou usado, depende muito do quanto você dispõe para a entrada, pois isso faz toda a diferença. Se o veículo não é extremamente necessário, vale a pena segurar um pouco as pontas para pagar a vista e comprar um carro usado, de boa procedência e baixa KM. Agora se o valor financiado for grande parte do valor do bem, faça a comparação do CET.

        Abraço,
        Ricardo Fernandes.

        • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

          Basta colocar na justiça e conseguir o valor cobrado pela TAC em dobro. Simples assim.

          Conheço advogados que fazem isso para centenas de pessoas e ganham 100% dos casos.

          Abraço!

  • Wagner

    Rafael, o carro será mais valorizado na hora da venda, se o mesmo tiver com suas revisões feitas na concessionária? Digo isso porque uma revisão na autorizada é muito caro e muitos falam que as vezes não vale a pena, é melhor levar para um mecânico de confiança. Pior é quem não conhece mecânico de confiança.

  • Wagner

    Rafael, o carro será mais valorizado na hora da venda, se o mesmo tiver com suas revisões feitas na concessionária? Digo isso porque uma revisão na autorizada é muito caro e muitos falam que as vezes não vale a pena, é melhor levar para um mecânico de confiança. Pior é quem não conhece mecânico de confiança.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Não. Isso não é levado em consideração na avaliação do veículo. Entretanto é importante fazer as revisões na concessionária durante o período de garantia do veículo (entre 1 a 5 anos, dependendo da marca).

      Caso o veículo já esteja fora da garantia e você conheça um estabelecimento de confiança, certamente é mais vantajoso, na minha opinião.

      Abraço!

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=710045068 João Ximenes

    Ótimo artigo, na teoria concordo com tudo mas na prática sempre acabo pegando um carro 0Km. Nesse quesito e em viagens ñ consigo ser tão racional, a única regra nesses casos é ñ mexer no investimentos “sagrados”.

    No comentário foi falado sobre a questão dos juros em financiamentos… Vou me permitir dar um depoimento de como faço em relação a carros.

    Apesar de polêmico, acho que para carros consórcios podem ser uma boa. Sempre quando vou trocar de carro ao invés de dar uma entrada (50% com o valor do meu carro usado) em um financiamento eu prefiro comprar um consórcio em andamento e pegar esse valor de dar como lance. O chance de sucesso de pegar a carta é grande e vc tem 2 vantagens: CET menor e a correção da carta pela referência do bom do grupo. No consórcio que estou atualmente por exemplo as prestações já cairam cerca de 10% por conta do valor do bem ter diminuido (sendo que já peguei a carta, então ñ me afeta pois já estou com o bem).

    Eu sei que a melhor forma de comprar carro é pagando a vista, mas caso ñ tenha paciência ta aí uma forma de pegar um carro 0Km sem pagar o dobro do valor pelo mesmo.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Obrigado pelo ótimo depoimento, João.

      Boas dicas são sempre bem-vindas e utilizar uma carta de crédito pode sim diminuir o custo para aquisição do automóvel.

      Abraço!

      • Fabio

        No meu caso, utilizo o automóvel, em geral, por 10 anos (fazendo as devidas manutenções). E lese nunca me deram prejuízos extraordinários, por causa de sua “idade”. Neste caso, não vale mais a pena comprar um 0km? Obrigado! Fábio.

        • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

          Ainda assim você poderia comprar um carro com um ano de uso, com pelo menos 15% de desconto em relação ao preço do 0km, e usá-lo por 9 anos.

          Seu carro continuaria com uma vida útil de 10 anos e você economizaria na hora da compra.

          Abraço!

  • Thiago

    Boa Noite Rafael! E caso eu pretenda ficar com o carro por mais ou menos uns 4 anos? Do ponto de vista financeiro você acha vantagem compra um 0k?

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Do ponto de vista financeiro, é melhor comprar um semi-novo com apenas um ano de uso, e então passar mais três com ele.

      Dessa forma, a vida útil do carro “na sua mão” seria os mesmos quatro anos, e você ainda economizaria pelo menos 15% em relação ao valor do 0km.

      Mas lembre que esse ponto de vista é exclusivamente financeiro. Você pode ter outras razões (não-financeiras) para adquirir um carro zero.

      Abraço!

  • Angelo Bezerra

    Muito bom o texto, elimina praticamente todas as dúvidas que poderíamos ter. Obrigado pelas informações.
    http://www.carangas.net/

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Obrigado, Angelo.

      Abraço!

  • http://www.consorcionacionalford.com.br/ Consorcio

    Belo post Rafael, com certeza são dicas que devemos tomar a cada momento na compra de um carro, voltarei mais vezes para acompanhar suas dicas, obrigado!!

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Muito obrigado.

      Abraço!

  • Stallone

    Ola a todos!

    E agora com o IPI reduzido e ate sem IPI, você acha que muda alguma coisa e relação a este artigo ou o preços dos seminovos caem na mesma medidas?

    Muito obrigado!

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Os preços dos semi-novos caem na mesma medida. A opinião continua a mesma.

      Abraço!

  • Rlbortolatto

    Comprei um Linea top de linha 2009 com 45.000 KM rodados, de concessionária. O preço dele 0 KM é R$ 60.000,00. Paguei R$ 36.000,00. Estou feliz da vida. Iria pagar 40mil em um Grand Siena 1.4 e com a metade dos opcionais… 0 KM é um roubo.

    • http://www.queroficarrico.com.br Rafael Seabra

      Concordo! Ótima aquisição, por sinal.

      Abraço!

  • Marcinho Tenorio Al

    rafael eu comprei um semi novo na loja na propria revendedora… o carro apresentou muitos defeitos com 1 mes de uso… eu reclamei de alguns 2 foram resolvidos entao eu pesquisei na net e vi meus direitos. entao começou apresentar outros defeitos com 2 meses e fui la reclamei eles falaram que iam ver o que fariam que iriam entrar em contato com o advogado da empresa e ver o que fazer. acho que uma acordo falaram em eu assinar algo. se eles me negarem a fazer o serviço ou querer que eu assine algum contrato para se livrar das possiveis futura mao de obra o que eu faço? quanto tempo dura um processo desse? o que eu ganharia ? meu carro eu dei 15 mil e financiei 5 mil.

  • Regina Célia

    Rafael boa tarde. Minha mãe adquiriu um carro semi usado no dia 10 de julho pp.Foi ao cartorio com toda documentação necessária mas o novo documento ainda não chegou em maos dela. Qual o tempo normal de demora? O novo documento vem pelo correio ou nos será entregue pelo local onde comprou o carro? Ela é uam pessoa de 71 anos e ja esta começando a ficar preocupada. Por favor, responda-me. Sem mais . Regina Célia – santos sp